Balsas, no Maranhão, publica justificativa para realizar a concessão do transporte coletivo

Crescimento desordenado da cidade e falta de transporte público por ônibus motivaram o uso da moto como veículo, mas desrespeito é responsável por um alto número de acidentes. Foto: TV Mirante

Em apenas 30 anos população da cidade quase quadruplicou, chegando hoje a 96 mil habitantes. Principal meio de locomoção é a motocicleta

ALEXANDRE PELEGI

Balsas, cidade do interior do Maranhão distante 750 km da capital São Luís, publicou na edição do Diário Oficial da União desta terça-feira, 03 de agosto de 2021, justificativa de outorga de concessão para o serviço público de transporte coletivo de passageiros.

Terceira maior economia do Maranhão, Balsas não dispõe atualmente de nenhum serviço de transporte coletivo por ônibus entre os bairros.

Em 2018 a cidade realizou uma audiência pública para debater a concessão do transporte.

Com um grande crescimento demográfico, a população saltou de 25 mil habitantes em 1984 para quase 100 mil em 2016, o que passou a pressionar por soluções voltadas à mobilidade urbana.

Desde então, a prefeitura não conseguiu lançar um edital de licitação dos serviços.

Na Justificativa publicada hoje, ato necessário para se iniciar o processo licitatório, a prefeitura informa que a área de atendimento dos serviços de transporte será definida através de um itinerário, nos dois sentidos (ida e volta) com 32 km na rota de ida e 33 km na rota de volta, totalizando 65 km.

A prefeitura afirma que essa área seguirá o detalhamento da linha Grande Circular e rotas, disposta no Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica do Sistema de Transporte Coletivo Municipal de Passageiros por Ônibus do Município.

O prazo da concessão será de 20 anos, prorrogáveis por igual período.

O grande desafio do sistema a ser implantado será estimular o cidadão a usar o ônibus. Com a predominância da motocicleta, preferida como principal meio de locomoção por quase 40% dos habitantes, outros problemas a serem resolvidos são a má qualidade da pavimentação e a ausência de calçadas.

O problema das motos, inclusive, pode-se dimensionar pelo número de acidentes de trânsito: 80% têm este veículo envolvidos, sendo que metade dos motociclistas não tem habilitação.

Dados do Detran-MA apontam que a motocicleta representa 63% da frota, em parte como solução encontrada pela população diante da falta de transporte coletivo na cidade.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta