Polícia Civil prende um dos suspeitos do ato de vandalismo da estátua do Borba Gato

Ocorrência foi registrada neste sábado (24), na zona sul da capital paulista

JESSICA MARQUES

A Polícia Civil prendeu, na madrugada deste domingo, 25 de julho de 2021, um dos suspeitos no ato de vandalismo da estátua do Borba Gato, na zona sul da capital paulista.

Em nota, o Governo de São Paulo informou que, durante a investigação, equipes do 11º Distrito Policial (Santo Amaro) identificaram o motorista do caminhão que conduziu parte do grupo até local e transportou os pneus.

“A placa do veículo foi adulterada. As investigações prosseguem para identificar e localizar os demais autores”, detalhou o Governo.

MONUMENTO: ARTE OU POLÊMICA?

(Alexandre Pelegi)

Uma obra com 10 metros de altura a partir de seu pedestal carrega com suas 20 toneladas uma polêmica que divide opiniões.

Concebida e construída pelo artista plástico Júlio Guerra, o monumento inaugurado em 1963 no bairro de Santo Amaro se incorporou à paisagem do paulistano.

Apesar de muitos sequer saberem sua história, a polêmica da homenagem, apregoam muitos historiadores, reside em seu duvidoso heroísmo.

Para alguns, ele não passou de um algoz dos povos indígenas, os primeiros moradores do território paulista, contra os quais usou de toda sorte de violência. Para outros, foi um dos que ajudaram a alargar o território desbravando terras e descobrindo riquezas.

Para os portugueses, que então eram os colonizadores do Brasil, um homem como Borba Gato era providencial, e espelhava a visão da coroa de que era preciso extrair de nossas terras toda riqueza possível. Mas uma riqueza, tornam a contraditar historiadores, construída sobre o sangue indígena e que enricou a realeza em Portugal…

Resta a questão artística: indiferente a quem homenageia, a obra em si pode ser considerada como de inestimável valor cultural?

No meio disso tudo, prevalece em muitos a revolta de ver um país espoliado homenagear alguém que representou a violência contra seus povos nativos. Para outros, Borba Gato continua a ser um herói, independente dos meios que usou para alcançar fama e fortuna.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Do meu ponto de vista a começar pelo fato de que não estava lá por volta de 1700, precisei ler, reler toda a história pra entender e da causa. Não tiro a razão das pessoas de que se tenha feito mal aos da terra, e se hoje eles não mais existem, não é por que hoje há uma estátua que irei descontar. Á estes que fizeram isso só adquiriram ódio por si mesmo,,,Borba Gato está lá para a história parado, estático, e não faz mal à nós neste momento, é o estrago mostra a insensatez, e ignorância do home de hj ELE FEZ MAL, SEI, MAS O QUE TEMOS FEITOS PRÁ REDUZIR ESSA DESIGUALDADE, nestes mais de 321 anos? Nada !,,,foi a história e fim de papo

Deixe uma resposta