Prefeitura de Foz do Iguaçu (PR) e Consórcio Sorriso devem encerrar contrato de ônibus antes do prazo

Ônibus municipal em Foz do Iguaçu

Uma das alternativas é acabar com o contrato em 31 de dezembro e fazer um emergencial por quilômetro rodado até a conclusão de uma licitação

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Foz do Iguaçu (PR) e o Consórcio Sorriso (Viação Cidade Verde e Vale do Iguaçu) começaram nesta semana a debater como encerrar de forma antecipada o contrato do transporte coletivo.

De acordo com a administração, uma das possibilidades é terminar o contrato no dia 31 de dezembro de 2021.

Em seguida, deve ser firmado um contratado emergencial com remuneração das empresas de ônibus “por quilômetro rodado” e, sem seguida, fazer uma licitação para um contrato com prazo maior.

Segundo a prefeitura, o formato pensado tem como base a Planilha de Gestão de Frota da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), e atende a uma necessidade emergencial para garantir os pagamentos dos trabalhadores até que um novo processo licitatório seja concluído.

“Estamos concluindo a análise das planilhas para apresentar os números ao Consórcio. Se esse modelo for adotado, o consórcio receberá de acordo com a rodagem. O valor dos quilômetros e a quantidade de linhas serão definidos pelo poder público”, explicou, por meio de nota, o diretor superintendente do Foztrans, Licério Santos.

INSATISFAÇÃO GERAL:

Nem o poder público está satisfeito com as empresas de ônibus, as empresas de ônibus não estão satisfeitas com o equilíbrio econômico do modelo atual e a população não está satisfeita nem com as empresas de ônibus e nem com a prefeitura.

“A Prefeitura está insatisfeita com o serviço e o consórcio está insatisfeito com o equilíbrio financeiro, por isso chegou-se neste entendimento, de buscar uma rescisão amigável”, explicou o representante do Consórcio Sorriso, Hélio Camilo Marra.

De acordo com o poder público, a reunião foi feita na quinta-feira, 22 de julho de 2021, pelo Grupo de Trabalho do Transporte Coletivo. Esse foi o segundo encontro do grupo, criado por orientação do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região.

O secretário da Transparência e Governança, José Elias Castro Gomes, mediador do grupo de trabalho, disse que analisa as reivindicações das empresas de ônibus, mas que qualquer ação vai ser tomada após aval do Ministério Público.

“O Consórcio colocou suas reivindicações, que estão sendo analisadas pela Prefeitura, através do Foztrans e da Procuradoria Geral do Município, sempre pensando na melhoria e qualidade do serviço público. Todas as decisões vão depender de avaliações do Ministério Público” -disse na mesma nota.

AUMENTO DE FROTA:

Na reunião, a prefeitura pediu aos representantes do Consórcio o aumento do número de ônibus em circulação, tendo em vista o retorno das aulas presenciais nas escolas públicas e faculdades, e o aumento do número de usuários.

A proposta do poder público é que pelo menos 100 veículos permaneçam em circulação diariamente. Segundo o Consórcio Sorriso, hoje rodam 70 ônibus para cerca de 26 mil usuários.

O Grupo de Trabalho debateu ainda as garantias de pagamento dos funcionários, a redefinição de linhas e a contratação de uma auditoria especializada para verificar os 11 anos de contrato.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    É só estatizar tudo de vez e acaba essa pôh@h.Chega de enganar o povo com licitações fraudulentas,demoradas e serviços de contos de fadas.Chega de abuso e crimes.Chega de politicagem.Chega de empresários,políticos e desse sistema de aproveitadores,bajuladores,criminosos e aventureiros.

  2. carlos souza disse:

    Estatiza tudo DE VEZ E PRA SEMPRE e acaba com esse império de crimes e mentiras do Sistema criminoso e ilegal.Chega de mentiras.Que vão tomar no khoow.

  3. Guinter disse:

    Não leio notícias que tem erro de digitt já na manchete

    1. diariodotransporte disse:

      E comentários de quem escreve “digitt” não merecem sequer ser considerados

Deixe uma resposta