Greve do transporte coletivo de Presidente Prudente (SP) completa 31 dias

Funcionários da empresa Prudente Urbano seguem cobrando o pagamento do salário de junho, adiantamento salarial do dia 20 e R$ 300 de vale-alimentação. Foto: Reginaldo Vieira/Ônibus Brasil.

Salários continuam atrasados e rodoviários não têm previsão para encerrar paralisação

WILLIAN MOREIRA

Nesta sexta-feira, 16 de julho de 2021, a greve dos trabalhadores do transporte coletivo urbano de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, completa 31 dias sem previsão de terminar.

Os funcionários da empresa Prudente Urbano seguem cobrando o pagamento do salário de junho, adiantamento salarial do dia 20 e R$ 300 de vale-alimentação.

Já o Sintrattepp (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Terrestre de Presidente Prudente e Região) alega que os trabalhadores neste mês receberam somente a cesta básica e R$ 200 de vale-alimentação, agravando o problema, que inclui também horas extras e parte do salário de dezembro em atraso.

Para permitir que a empresa consiga mais receitas para pagar as pendências, o sindicato ampliou, no último dia 13 de julho, para 41 ônibus a quantidade de veículos atendendo a população.

Apesar disso, o pagamento vem sendo realizado de forma lenta, impedindo a quitação e consequentemente o encerramento da greve.

O poder público mantém a autorização para vans escolares e micro-ônibus atenderem a população nos itinerários das linhas urbanas, para diminuir os reflexos do movimento grevista na cidade.

Neste ano de 2021, é a quarta paralisação do setor por motivos similares, os atrasos no pagamento de direitos trabalhistas.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta