Câmara de Londrina (PR) rejeita limitar em 50% capacidade de pessoas nos ônibus municipais

Projeto foi arquivado. Foto: Ezequiel Vicente Fernandes/Ônibus Brasil.

Projeto de Lei foi apreciado pelos parlamentares, sendo vetada a obrigação às concessionárias

WILLIAN MOREIRA

Os vereadores de Londrina no Paraná rejeitaram na terça-feira, 13 de julho de 2021, o Projeto de Lei 89/2020 que tratava de estipular um limite máximo da capacidade de passageiros no transporte coletivo como medida de combate ao coronavírus.

De acordo com o projeto, o objetivo era promover o distanciamento social enquanto durar a pandemia da covid-19, determinando que os veículos circulassem com no máximo 50% do limite total dos ônibus.

Entretanto, na votação houve um empate com nove votos a favor e outros nove contrários. Assim, o projeto não obteve a aprovação necessária e foi arquivado.

Já a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) enviou um ofício alegando que se o projeto fosse aprovado, os custos de operação do transporte aumentariam em aproximadamente 30%, sendo preciso um reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos do transporte coletivo.

Apesar da rejeição na Câmara, é possível que o projeto seja apresentado para o prefeito diretamente para ser indicado como em forma de decreto para entrar em vigor, mas este processo ainda não tem data para acontecer.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta