Greve no transporte coletivo de Presidente Prudente completa 27 dias

Trabalhadores seguem cobrando o pagamento de salários e benefícios em atraso

WILLIAN MOREIRA

Nesta segunda-feira, 12 de julho de 2021, a paralisação dos trabalhadores que atuam no transporte coletivo urbano de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, chegou ao 27º dia de movimento, sem previsão de encerrar o impasse.

Os funcionários da empresa Prudente Urbano estão cobrando o pagamento de salários e vale alimentação em atraso, incluindo o adiantamento correspondente ao último dia 20.

Nos horários de pico 50% da frota circula. Nos demais horários, operam somente 35% da frota.

Para diminuir os impactos da greve, a prefeitura da cidade permite que vans e micro-ônibus possam atender a população nas linhas que não estão sendo operadas pelos ônibus.

Como uma das respostas à crise, foi criada uma comissão do poder público que está realizando uma auditoria na Prudente Urbano para identificar os pontos que causaram a crise financeira da concessionária, afetando o pagamento de suas obrigações.

Apenas neste ano de 2021, esta é a quarta paralisação do setor por motivos similares, as questões em atrasos de direitos trabalhistas.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta