Leblon e Comec se reúnem com Arteris e apresentam sugestões para BR-116 ter melhores condições para o transporte coletivo

Horários de obras, melhorias em sinalização e campanhas para redução de acidentes com motociclistas foram alguns dos temas apresentados

ADAMO BAZANI

O Grupo Leblon de Passageiros, por meio de seu coordenador de tráfego, Maiko Enns e a Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), gerenciadora dos transportes metropolitanos se reuniram com os representantes da concessionária do trecho Sul da Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), Arteris S.A.,  para apresentar sugestões e discutir melhorias na  rodovia que possam reduzir os impactos de obras, trânsito e acidentes na operação das linhas de ônibus.

Diversos gargalos e interferências causam impactos nos serviços de transportes coletivos na ligação entre a capital Curitiba e a cidade de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana.

Uma das sugestões foi concentrar a realização de obras fora dos horários de pico.

“O ideal era realizar obras à noite. Senão que as intervenções sejam feitas num horário que não tenha tanto impacto no pico, como entre 08h30 e, no máximo, 15h30” -explicou Enns.

O encontro foi realizado em 01º de julho de 2021.

A Leblon também citou o alto índice de acidentes, principalmente com motociclistas, no trecho entre a ponte do Rio Iguaçu e a região do viaduto do contorno Sul.

Entre as sugestões para a Arteris, está a implantação de melhorias na sinalização ao longo do trecho, campanhas de conscientização com placas no viário e envolvendo a Polícia Rodoviária Federal.

A Leblon e a Comec também pediram uma maior agilidade no atendimento a estas ocorrências de acidentes, tanto para um socorro mais eficiente às vítimas, já que em alguns casos o tempo de resgate é decisivo, e também para a liberação mais rápida da via.

Os postos onde ficam os carros de socorro da concessionária ficam afastados. Uma das alternativas seria deixar as ambulâncias de prontidão estacionadas em locais seguros ao longo do trecho para que os atendimentos sejam mais rápidos.

“Citamos também a necessidade de uma faixa da esquerda da BR 116 no sentido Curitiba onde era o retorno do sinaleiro da Pompéia. No local, foi feito o viaduto, porém a pista não foi corrigida. A Arteris informou que a obra já era para ter sido feita no final do ano passado, mas que deve entrar na programação deste ano”

Segundo a Arteris, na reunião, existem projetos de melhoria ao longo da BR 116 no trecho entre Curitiba e Fazenda Rio Grande, cujas análises dependem do avanço da Linha Verde no sentido Sul.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta