Após assumir gestão do transporte semiurbano, Semob do DF fará planejamento das linhas e iniciará elaboração de novo Plano de Outorgas

Foto: ônibus do entorno do DF (Semob/DF)

Governo do DF assumiu a gestão por meio de delegação da ANTT; sistema de transporte conta com sete operadoras que atuam em 396 linhas de ônibus

ALEXANDRE PELEGI

O Secretario de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal, Valter Casimiro, garantiu que nada muda para o passageiro nesse primeiro momento de mudança da gestão do transporte semiurbano do Distrito Federal, que desde quinta-feira, 08 de julho de 2021, foi delegado ao Governo do DF pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Caberá à Secretaria a gestão operacional e a fiscalização do cumprimento dos horários determinados a essas empresas, das viagens, do número de viagens, das condições dos ônibus”, afirmou o titular da Semob-DF.

Ainda segundo Valter Casimiro, a secretaria precisa fazer o Plano de Outorgas, “que é um edital de licitação para contratar novas linhas e trabalhar um planejamento de integração com o sistema de Brasília, uma integração operacional”.

Casimiro ressaltou, no entanto, que a Semob-DF não pode fazer integração tarifária, que seria usar uma passagem só para todo o entorno, porque não há ainda uma autorização legislativa para dar subsídios para o Estado de Goiás.

Mas a gente consegue fazer uma integração operacional onde a gente pode colocar as linhas do entorno vinculadas com as linhas do DF para poder melhorar a condição operacional do sistema conjunto”, ressalvou o titular da pasta.

O sistema do transporte semiurbano conta com sete operadoras e 396 linhas de ônibus que circulam entre o Distrito Federal e as cidades de Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Formosa, Girassol, Luziânia, Mansões Marajó (Cristalina), Monte Alto (Padre Bernardo), Novo Gama, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso.

O secretário Valter Casimiro acredita que a integração do semiurbano com o sistema de transporte do Distrito Federal vai reduzir o tempo de viagem e facilitar a vida dos passageiros. “O estudo da Semob vai apontar formas de buscar a melhoria da qualidade do serviço de transporte do Entorno”, disse.

Para finalizar, o Semob-DF informou que “algumas linhas do semiurbano já foram autorizadas a transitar pelas faixas exclusivas e no corredor do BRT. Além disso, a Semob já estendeu algumas linhas que antes só atendiam o DF para que atendam também as cidades goianas próximas da fronteira”.

Como a integração dos dois sistemas será apenas operacional, e não tarifária, o estudante que mora em município fora do DF não goza de isenção tarifária, portanto, não poderá utilizar o cartão do passe livre nos ônibus do Entorno.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta