Paes prorroga medidas contra a covid-19 no Rio de Janeiro até 26 de julho com ônibus fretados liberados

Funcionamento de boates, danceterias e salões de dança permanece proibido; Atividades econômicas com 40% de ocupação em estabelecimentos fechados e 60% nas áreas abertas

ADAMO BAZANI

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, publicou em Diário Oficial desta sexta-feira, 09 de julho de 2021, decreto 49087 que prorroga até o dia 26 de julho de 2021 as medidas de restrições contra a covid-19.

Com isso, permanece permitida a entrada e circulação na cidade de ônibus e vans de fretamento de qualquer modalidade: eventual, aplicativo e contínuo para trabalhadores, esta última que nunca foi proibida.

Continua proibido o funcionamento de boates, danceterias e salões de dança, assim como a realização de festas que necessitem de autorização transitória, em áreas públicas e particulares.

Não há recomendação de escalonamento de entrada e saída de trabalhadores para não superlotar cabritinhos, vans, ônibus, trens e metrô.

Atividades econômicas e de serviços devem respeitar o limite de 40% de ocupação em estabelecimentos fechados e 60% nas áreas abertas, como shopping centers, centros comerciais e galerias de lojas, museu, biblioteca, cinema, teatro, casa de festa, salão de jogos, circo, recreação infantil, parque de diversões, temáticos e aquáticos, pista de patinação, entretenimento, visitações turísticas, aquários, jardim zoológico, apresentações, drive-in, feiras e congressos, exposição e evento autorizado.

O distanciamento mínimo entre as pessoas nestes locais deve ser de 1,5 metro.

Casas de espetáculo e concertos também devem respeitar o limite de 40% de ocupação em estabelecimentos fechados e 60% nas áreas abertas e 1,5 metro de distanciamento.

Quanto às academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento e condicionamento físico ficam permitidas as aulas em grupos, com a ocupação dos ambientes limitada a um indivíduo a cada quatro metros quadrados.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta