Guarulhos agenda para 24 de agosto licitação para o Corredor de Ônibus Jamil João Zarif

Resumo do projeto foi apresentado pelo secretário de Obras, Marco Antonio Guimarães, em consulta pública em janeiro deste ano. Foto: prefeitura de Guarulhos

Projeto faz parte de Programa de Macrodrenagem e Controle de Cheias do Rio Baquirivu-Guaçu

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, publicou no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 08 de julho de 2021, o agendamento da licitação no formato técnica preço para serviços especializados de engenharia (projeto e obras) para construção do Corredor de Ônibus Jamil João Zarif.

A sessão de abertura está agendada para o dia 24 de agosto de 2021.

A obra faz parte do Programa de Macrodrenagem e Controle de Cheias do Rio Baquirivu-Guaçu, que conta com empréstimo do CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina.

Como mostrou o Diário do Transporte, o CAF em setembro de 2020 um empréstimo no valor de 96 milhões de dólares para o município destinado a obras de mobilidade.

De acordo com a Prefeitura à época, o valor destinado ao programa de Macrodrenagem e Controle de Inundações do Rio Baquirivu-Guaçu visa melhorar os sistemas de drenagem e a mobilidade urbana no município.

Os recursos são destinados para obras de canalização aberta ao longo do Rio Baquirivu-Guaçu, construção de reservatórios de água, parques, quadras poliesportivas, requalificação de vias, urbanização, entre outras ações.

Ao Diário do Transporte, a Prefeitura informou na ocasião que o projeto inclui também a readequação do corredor viário e a ampliação das faixas de ônibus da Rua Jamil João Zarif (em uma extensão de 3,5 quilômetros) e da Avenida Natalia Zarif (em quatro quilômetros).

Outra intervenção prevista é a construção de seis pontilhões, obras em 13 travessias e a recuperação de pavimento, com nova sinalização em 23 quilômetros de vias públicas.

CICLOVIA

A Prefeitura informou ainda que vai implementar uma ciclovia às margens do Rio Baquirivu-Guaçu. A via será da estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) até o limite com a cidade de Arujá, com mais de 14 quilômetros de extensão.

Também será realizada a canalização de mil metros do córrego Cocho Velho, com instalação de um parque linear e uma ciclovia ao longo da canalização.

“A Secretaria de Obras esclarece ainda que os recursos destinados às áreas de mobilidade urbana giram em torno de 25% do valor total do programa e o cronograma dos trabalhos ainda será definido, uma vez que o projeto está em processo de licitação”, detalhou a Prefeitura, em nota.

TRAMITAÇÃO

Em 02 de setembro de 2020, o Senado aprovou, por votação simbólica, a autorização de contratação de crédito externo para a cidade de Guarulhos. Agora, o próximo passo é a promulgação.

A mensagem da Presidência da República (MSF 37/2020) que autoriza essa operação foi relatada pelo senador Omar Aziz. O parecer foi lido pelo senador Major Olimpio (já falecido), favorável à matéria.

“Quando os senhores chegam em São Paulo, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, quando está chovendo, normalmente tem até um rio ali e bairros às vezes inundados. Graças a esses esforços dos senhores, isso será uma coisa do passado em Guarulhos”, declarou Major Olimpio, em nota.

CONSULTA PÚBLICA

No dia 28 de janeiro de 2021 a prefeitura realizou consulta pública sobre as obras do Programa de Macrodrenagem e Controle de Inundações do rio Baquirivu-Guaçu. A sessão teve a participação, segundo a prefeitura, de representantes da população, de empresas e demais interessados.

O resumo do projeto foi apresentado pelo secretário de Obras de Guarulhos, Marco Antonio Guimarães, que afirmou que a intervenção irá reduzir em até 80% a ocorrência de enchentes na bacia do Baquirivu, beneficiando cerca de 300 mil pessoas diretamente e, indiretamente, todo o município.

“O foco do projeto é resolver o problema de enchentes na cidade, por isso abrange também os afluentes do Baquirivu, como os córregos Cocho Velho e Água Chata, no Pimentas, que possuem travessias muito antigas executadas com normas de até 40 anos atrás. O investimento realizado vai retornar rapidamente em forma de qualidade de vida para população e também com a economia de recursos gastos para reparar danos causados pelas cheias, que podem chegar a R$ 20 milhões por ano”, afirmou Guimarães.

Baquirivu-Guaçu – Integrante da unidade hidrográfica do Alto Tietê, a nascente do rio Baquirivu-Guaçu fica na cidade de Arujá, onde percorre 3 km até chegar a Guarulhos, passando pelos bairros Sadokim, Bonsucesso, Lavras, Jardim São João, Invernada, Jardim Bananal, Taboão, Vila Barros, Parque Cecap e Várzea do Palácio, até desaguar no rio Tietê, numa extensão aproximada de 21 km.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta