Primeiro-Ministro inglês diz que regras sobre máscaras e distanciamento social devem acabar a partir de 19 de julho

Boris Johnson fez declaração em coletiva hoje e causou reação de prefeitos, sindicatos e especialistas da saúde

Sindicatos de rodoviários e prefeitos de Londres e da região da Grande Manchester reagem e exigem obrigatoriedade de proteção no transporte público

ALEXANDRE PELEGI

Em uma declaração nesta segunda-feira, 05 de julho de 2021, o Primeiro-Ministro (PM) do Reino Unido, Boris Johnson, confirmou que há planos para acabar com o distanciamento social e o uso de máscaras a partir de 19 de julho.

O anúncio de Boris foi considerado inoportuno por vários líderes e prefeitos, além de especialistas em saúde pública, num momento em que as previsões apontam para 50 mil casos diários de coronavírus. O alerta de todos é que a decisão de reabrir a economia agora pode forçar a Inglaterra a voltar a manter restrições até 2022.

Para Boris Johnson, no entanto, os altos níveis de vacinação proporcionarão uma quebra nos índices de contaminação no verão, contendo o número de mortes no pico da terceira onda de Covid-19. No entanto, ele mesmo admitiu que pode ter de reimpor novas medidas no inverno, caso novas variantes resistentes voltarem a emergir.

Em um comunicado por intermédio de seu porta-voz, o prefeito de Londres, Sadiq Khan, reagiu à declaração de Johnson, e afirmou que manter a regra obrigatória de uso de máscaras em trens e ônibus seria “a opção mais simples e segura“.

Já o líder trabalhista Sir Keir Starmer, do mesmo partido do prefeito Khan, o PM está sendo “imprudente“. Sindicatos e prefeitos da Grande Manchester seguiram a opinião do prefeito de Londres, e deixaram claro que querem que as máscaras permaneçam obrigatórias no transporte público.

No comunicado em seu nome, o porta voz de Sadiq Khan diz: “O prefeito sempre deixou claro que as máscaras têm um papel importante tanto para dar aos londrinos a confiança para viajar no transporte público, que será crucial em nossa recuperação econômica, quanto como uma ferramenta para proteger uns aos outros durante esta pandemia.”

Os comentários do prefeito ocorrem quando alguns especialistas médicos afirmam que continuarão a usar coberturas faciais em ambientes lotados.

A British Medical Association pediu ao governo que mantenha algumas das medidas protetivas além de qualquer reabertura da economia, incluindo o uso de máscaras em áreas como lojas .

Enquanto isso, o sindicato Unite, que representa dezenas de milhares de trabalhadores do transporte público, advertiu que o uso de máscara deve permanecer obrigatório no transporte público.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta