CCR e Estado anunciam R$ 2,3 bilhões em obras de melhorias em 13 rodovias em São Paulo

Doria em anúncio nesta quarta (30)

Como mostrou o Diário do Transporte em primeira mão ontem, empresa vai pagar R$ 1,2 bilhão ao Estado em troca de encerramento de ações que contestavam prorrogação de concessões

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

O governador de São Paulo, João Doria, e o vice-governador, Rodrigo Garcia, anunciaram nesta quarta-feira, 30 de junho de 2021, a assinatura de um acordo com o Grupo CCR que envolve investimentos de RS 2,3 bilhões em melhorias e obras em rodovias.

Segundo o anúncio, este aporte financeiro do acordo vai gerar cerca de cinco mil empregos diretos em obras a serem efetuadas em 13 rodovias estaduais.

Ainda é previsto que o grupo empresarial realize o pagamento de uma indenização de R$ 1,2 bilhão de reais ao Estado, em troca de encerramento de ações que contestavam prorrogação de concessões

A informação foi divulgada em primeira mão pelo Diário do Transporte ainda nesta terça-feira, 29 de junho de 2021.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/06/29/ccr-rodovias-vai-pagar-ao-governo-do-estado-r-12-bi-em-troca-de-anulacao-de-acoes-contra-aditivos-e-de-prorrogacao-de-contratos/

Doria ainda na coletiva disse que este montante de 1,2 bilhão de reais se junta a outros R$ 21 bilhões dos cofres estaduais que serão revertidos em investimentos de obras, setor da saúde, educação, segurança, entre outros.

O vice-governador, Rodrigo Garcia, disse que com o acordo de encerramento de processos vai trazer maior segurança jurídica, tanto para o poder público como para a empresa.

“Nós fechamos esse entendimento ontem com a análise do conselho gestor de concessões do Estado de São Paulo que deliberou ontem à noite pela aprovação desse entendimento. Esse entendimento, portanto, zera os passivos regulatórios com três concessionárias do Grupo CCR, a AutoBan, a SPVias e a ViaOeste. E o que significa resolver esses passivos regulatórios? Significa reforçar a segurança jurídica dos contratos de concessão do Estado de São Paulo. Significa um recado muito claro que em São Paulo o capital privado é bem-vindo e o governo trata com respeito e dentro da lei esse capital privado”, disse o vice-governador, Rodrigo Garcia.

Ouça:

Rodrigo Garcia ainda enumerou cinco obras principais que serão iniciadas em poucos dias após a celebração deste acordo.

A primeira é a extensão das marginais de Alphaville na Rodovia Castelo Branco até o quilometro 32, o que representa a duplicação da ponte sobre o Rio Tietê para dar maior fluidez para quem entra e sai da cidade por essa via. Serão R$ 800 milhões de investimento.

Já a segunda obra é um novo acesso ao município de Osasco, na Grande São Paulo, pela Castelo Branco.

A terceira intervenção será em Mairinque, no interior paulista, no trevo do sertanejo, o que pode reduzir o problema de moradores de bairros da região que precisam percorrer um caminho maior para chegar até a Castelo.

Em Sorocaba, ainda no interior, será feito um novo acesso viário ao Hospital Regional de Sorocaba que foi inaugurado recentemente. O local tem dificuldades de acesso. Devem ser R$ 20 milhões de investimentos nesta nova entrada.

Outros R$ 1,747 bilhão serão investidos em obras de recapeamento, sinalização e outras ações nas vias administradas pela CCR.

Garcia afirmou que o pagamento de R$ 1,2 bilhão pelo Grupo CCR será feito em até 15 dias e serão somados aos investimentos estatais em outras áreas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta