Prefeitura de SP suspende contrato de reforma do corredor de ônibus da avenida Santo Amaro por 4 meses

Imagem: prefeitura de SP

Obra deveria ter sido concluída em 2018. Suspensão do contrato foi feita a pedido da SPObras e vai até 06 de outubro de 2021

ALEXANDRE PELEGI

O contrato referente aos projetos executivos e à execução das obras de requalificação da Avenida Santo Amaro e à reforma do Corredor de Ônibus Santo Amaro, no trecho da Avenida Presidente Juscelino Kubitschek até Avenida dos Bandeirantes, sofrerá mais um atraso.

Conforme publicação no Diário Oficial desta terça-feira, 29 de junho de 2021, ele ficará suspenso até o dia 06 de outubro próximo.

A suspensão contratual foi publicada pela Secretaria de Infraestrutura e Obras e vale pelo prazo de 120 dias, a contar de 09 de junho passado.


O contrato foi celebrado com o Consórcio Souza Compec / Coplan em 19 de maio de 2016 pelo valor inicial de R$ 58,69 milhões (R$ 58.699.504,35), e a obra deveria ter sido concluída em 2018.

O contrato já recebeu sete aditivos desde sua assinatura.

O último deles, assinado em 22 de outubro de 2020, elevou o valor do empreendimento para R$ 62,7 milhões (R$ 62.675.568,69).

OPERAÇÃO FARIA LIMA

Como mostrou o Diário do Transporte, a proposta de revitalizar o corredor de ônibus da Avenida Santo Amaro no âmbito da Operação Urbana Faria Lima foi aprovada no dia 23 de junho de 2015 pela Câmara Municipal de São Paulo.

Naquele dia, os vereadores aprovaram o Projeto de Lei 377/2014, do então prefeito Fernando Haddad, que incluiu um trecho de 2,7 quilômetros da Avenida Santo Amaro nos investimentos da operação. O trecho compreende o perímetro entre a Avenida Juscelino Kubitscheck e a Avenida dos Bandeirantes. Relembre:

Câmara aprova modernização de corredor de ônibus e revitalização da Avenida Santo Amaro

PLANO DE REQUALIFICAÇÃO

De acordo com a prefeitura de São Paulo, as premissas do projeto consideram o importante papel da Avenida Santo Amaro na rede estrutural de transportes da cidade, sendo um eixo fundamental para a mobilidade da zona sul de São Paulo. Também considera a importância da Avenida para os bairros lindeiros, concentrando áreas de comércio local, supermercados, bancos e outros serviços.

Implantado em 1985, um dos primeiros da cidade de São Paulo, o corredor de ônibus na Avenida Santo Amaro resultou em uma avenida com passeios estreitos, em alguns pontos insuficientes para o fluxo de pedestres existente e em um intenso tráfego de ônibus e consequente poluição sonora e atmosférica que comprometeram a qualidade urbana da avenida. Apesar de atravessar regiões extremamente valorizadas da cidade, a avenida apresenta em seu traçado uma grande quantidade de imóveis deteriorados e sem adesões significativas à Operação Urbana Consorciada Faria Lima.

O projeto prevê, em ambos os lados da avenida, a ampliação de calçadas, nova pavimentação de vias e espaços públicos, melhoria da infraestrutura para transporte coletivo, enterramento de redes, melhoria da drenagem urbana, iluminação, sinalização e semáforos, implantação de mobiliário urbano, comunicação visual, paisagismo e ajardinamento.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta