Terminais Pinheiros e São Mateus são afetados por vandalismo em ônibus nesta segunda (28)

Pneu esvaziado de ônibus.

Foram retiradas chaves e cortadas correias de motor de alguns veículos

ADAMO BAZANI

Dificuldades para quem depende de ônibus na região dos Terminais Pinheiros, na zona Oeste de Capital Paulista, e São Mateus, na Zona Leste.

Desde às 06h desta segunda-feira, 28 de junho de 2021, veículos estão sendo alvo de vandalismo, com retiradas chaves e cortadas correias de motor.

Segundo a SPTrans, em nota, foram necessários desvios em linhas.

A SPTrans informa que ônibus municipais estão sendo alvo de vandalismo desde as 6h desta segunda-feira, 28 de junho, nos terminais Pinheiros, na Zona Oeste, e São Mateus, na Zona Leste. Às 7h35, os coletivos foram removidos do local e os desvios foram desativados.

Por volta das 7h, um grupo atacou dois coletivos, sendo um na Av. Ragueb Chofhi x Av. Aricanduva e o outro na mesma avenida com a Av. Jacu Pêssego. Ambos tiveram os pneus esvaziados, porém, há obstrução apenas parcial do viário.

Guinchos das operadoras, em auxilio no local, já estão fazendo a remoção dos coletivos no Terminal Pinheiros.

Segundo informações preliminares, um grupo realiza um ato na entrada do Terminal Pinheiros, sendo retiradas as chaves dos coletivos e cortada a correia do motor de alguns veículos.

O mesmo acontece no Terminal São Mateus. Há informações de que três coletivos tiveram os pneus esvaziados, obstruindo totalmente a entrada do Terminal.

A Polícia Militar e a equipe de fiscalização foram acionados.

A SPTrans repudia atos de vandalismo e contata a Polícia Militar em tais circunstâncias.

Desvio alternativo que foi feito nas linhas do Terminal Pinheiros:
637A/10 Term. Jd. ngela – Term. Pinheiros
637A/21 Vl. Remo – Term. Pinheiros
637A/25 Piraporinha – Term. Pinheiros
637A/26 Term. Guarapiranga – Term. Pinheiros.

Seguindo normal até o Av. Brig. Faria Lima e após retorna no Largo da Batata para o bairro.

O Sindmotoristas nega envolvimento nas ações e diz que que os ataques podem ter relação com episódio semelhante registrado em 14 de junho de 2021, que não teve atuação da entidade, segundo o sindicato

A direção do Sindmotoristas foi  surpreendida na manhã desta segunda-feira (28), com a notícia de que ônibus do Terminal Pinheiros foram alvos de atos de vandalismo. Esta já é a segunda vez que veículos foram marginalizados na capital.

O presidente da entidade Valdevan Noventa, lamenta o episódio. “Nos preocupamos com a integridade física dos trabalhadores e dos usuários de ônibus. Ainda não sabemos quais são as razões desta ação, mas é lamentável e repugnante qualquer ato de vandalismo. Já estamos vivendo tempos difíceis com a pandemia e ainda nos deparamos com marginais tirando a tranquilidade de quem quer trabalhar”, disse.

O primeiro ato – que aconteceu no dia 14, nas adjacências do Viaduto do Diário Popular, prejudicando a circulação de mais de 30 linhas que acessam o Terminal Parque Dom Pedro II – ainda está sob investigação da polícia.

De acordo com denúncias, a exemplo da nota publicada no Diário do Transporte, as ações teriam sido encabeçadas por um ex-motorista que estava acompanhado de um grupo de desempregados ligados à Viação Metropóle Paulista.

Sobre a postura da SPTrans que buscado atribuir os atos ao sindicato, sem qualquer prova e sem estar baseada na investigação policial – que sequer foi concluída – o presidente do sindicato, Valdevan Noventa, promete tomar providências jurídicas por difamação e denunciação caluniosa.

Em São Mateus há a operação dos trólebus e ônibus metropolitanos da Metra do Corredor ABD, mas de acordo com a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) não há impactos nas linhas do sistema.

Ato com vandalismo contra empresa paralisa ônibus e causa confusão na região do Parque Dom Pedro II na capital paulista. Normalização do Terminal às 8h50

Passageiros tiveram de seguir viagem a pé.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Os carimbos sobre as imagens foram necessários porque da última vez, os créditos foram cortados e as fotos roubadas.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta