Tarifa do transporte ferroviário de João Pessoa, Natal e Maceió aumenta para R$ 2,50 a partir de 3 de julho

Foto: Divulgação CBTU Natal

Recomposição tarifária estava prevista para março deste ano, mas foi adiada devido à pandemia

WILLIAN MOREIRA

A CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) anunciou nesta segunda-feira, 28 de junho de 2021, que efetuará no dia 3 de julho de 2021 o reajuste previsto nas tarifas do sistema ferroviário de VLT nas cidades de Natal, Maceió e João Pessoa.

O aumento elevará para R$ 2,50 a tarifa do transporte e de acordo com a companhia, estava programado para acontecer em março deste ano.

Este reajuste foi adiado para julho em razão de uma parcela da população estar em situação de vulnerabilidade social devido à pandemia, o que ocasionou a interrupção de atividades econômicas.

Entretanto, a CBTU afirmou no comunicado que faz o possível para amenizar ao máximo os impactos financeiros aos seus passageiros, mas por ser uma empresa pública federal subvencionada pelo Tesouro Nacional, não pode se isentar de praticar o aumento da passagem após dois anos do ultimo reajuste.

Um novo congelamento tarifário prejudicaria a prestação do serviço ofertado, uma vez que a CBTU poderia se “sufocar” financeiramente falando.

O reajuste estava previsto para Março deste ano, no entanto foi adiado para o mês de Julho, tendo em vista a maior vulnerabilidade das populações atendidas diante do impacto da Pandemia e a paralisação de atividades econômicas.

A Empresa deixa claro que fez e faz o possível para minorar o impacto para seus usuários, porém, como Empresa Pública Federal subvencionada pelo Tesouro Nacional, não seria possível deixar de ajustar suas tarifas após 2 anos da aprovação de seu último aumento, de forma a não repetir políticas passadas de congelamento tarifário, e que tanto oneraram os contribuintes e prejudicaram a qualidade dos serviços oferecidos, por terem sufocado financeiramente a Companhia e restringido sua capacidade de investimentos”, diz parte do informe da nova tarifa divulgado para a imprensa e nas redes sociais institucionais.

O novo preço representa um valor 25% maior que o atual praticado que é de R$ 2,00.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta