Polícia Civil detém suspeito de participar de incêndio que destruiu ônibus da Severo Turismo em Belo Horizonte

Uma das hipóteses é de que concorrência tenha sido a motivação; Policiais dizem que mais pessoas podem ter envolvimento

ADAMO BAZANI

A Polícia Civil de Minas Gerais informou na tarde desta terça-feira, 15 de junho de 2021, que deteve um suspeito de ter participado do incêndio que destruiu dez ônibus da Severo Turismo.

Os policiais chegaram ao suspeito por meio de investigações com base em imagens de câmeras de segurança da rua.

O homem tem ligações com outra empresa de ônibus de acordo com as apurações iniciais.

Os policiais não descartam a possibilidade de o ato ter sido provocado por concorrência no setor de transportes de passageiros.

Os nomes do suspeito e da outra empresa de ônibus ainda não foram divulgados para não atrapalhar as investigações.

Por enquanto, o homem é apenas detido para averiguação.

Há pelo menos mais um suspeito que está sendo procurado.

Como mostrou o Diário do Transporte, antes das 06h20 da manhã desta terça-feira, 15 de junho de 2021, as chamas começaram nos ônibus que estavam mais próximos do portão e foram se alastrando na direção de outros veículos que estavam mais ao fundo.

Imagens de circuito na rua mostram a movimentação de um homem trajando roupas escuras e boné de tom vermelho se aproximando do portão pouco antes das 06h15 da manhã desta terça-feira, 15 de junho de 2021. Em seguida, ele sai correndo e começa o incêndio.

As imagens foram compartilhadas em grupos de redes sociais e também foram obtidas pelo Diário do Transporte

O vídeo possui cortes. A ação teria durado em torno de cinco minutos.

A empresa confirmou não ter seguro contra este tipo de dano, segundo os bombeiros

O prejuízo foi em torno de R$ 10 milhões de acordo com cálculos iniciais.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Zeferino( Severo Blanco) disse:

    Isto é um absurdo,pessoas de bem tentando sobreviver dentro da maior pandemia e um marginal fazendo isto.No Brasil as penas deveriam ser mais duras.Fazer repor os danos pelo resto da vida.As empresas de turismo são as mais prejudicadas na pandemia.A Severo é uma empresa idônea.Nao merece isto.

Deixe uma resposta