Ônibus são atacados por bandidos na zona Sul de São Paulo e linhas tiveram de ser desviadas

Bando tentou colocar fogo em um dos veículos, mas foi fracassado

ADAMO BAZANI

Mais uma vez a ação de bandidos atrapalha a vida do trabalhador na zona Sul da Capital Paulista nesta segunda-feira, 07 de junho de 2021.

De acordo com a SPTrans (São Paulo Transporte), três ônibus foram abordados por bandos na região de Parelheiros.

Em um dos casos, os marginais tentaram colocar fogo em um coletivo, mas foram fracassados. Os motoristas e cobradores conseguiram controlar as chamas.

Ainda de acordo com a SPTrans, foi necessário mudar trajetos de três linhas e pontos finais de outras duas.

A SPTrans informa que o ônibus de prefixo 61.222, da linha 6091/10 Vargem Grande – Term. Sto. Amaro, teve seus vidros quebrados às 4h45 desta segunda-feira, dia 7 de junho, na Avenida das Palmeira, 76.

Já os ônibus de prefixos 61.539 e 61.531, da linha 6091/21 Jd. Silveira – Term. Sto. Amaro, estavam em operação e às 5h07 foram abordados por indivíduos que ordenaram que os ônibus fossem atravessados nas vias. Houve tentativa de incendiar o coletivo 61.539 com produtos inflamáveis, mas os operadores evitaram que a ação se concretizasse, utilizando o extintor de incêndio.

As linhas 6091/10 e 6091/21 estão com seus pontos iniciais alterados para a Estrada da Colônia, 3.500, em razão da ocorrência policial.

 Outras três linhas que operam na região efetuaram o retorno na altura da Estrada da Colônia até às 6h50, sendo elas:

6073/10 Jd. Sta. Terezinha – Term. Varginha

6l05/10 Barragem – Term. Parelheiros

6093/10 Vargem Grande – Term. Grajaú

Os casos foram levados ao  101º DP. 

A polícia verifica a relação destes ataques a uma tentativa de roubo a caixas eletrônicos na região.

Apesar de os bandidos serem violentos, não há registro de feridos.

O artigo 163 do Código Penal deixa claro que destruir inutilizar ou deteriorar o bem ou serviços de uma união, tanto estado, quanto município é considerado crime contra o patrimônio público. São enquadrados também bens privados a serviço público, que é o caso de ônibus de concessionárias e permissionárias de transporte público.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Leandro disse:

    Gozado que sempre são os ônibus que paga o pato na mãos desses lixos aí de vagabundos, sem vergonha que se dizem machoes, mais na hora do vamos ver saem correndo aí quendo a polícia mata essa cambada aí vem as mamães e dizem que os filinhos são santos ..

Deixe uma resposta