Eletromobilidade

Operação de trólebus na capital paulista reduz 20 mil toneladas de CO2 por ano

Balanço foi divulgado nesta sexta-feira pela SPTrans. Foto: Adamo Bazani.

Ao todo, 201 veículos movidos a energia elétrica conectados à rede aérea de alimentação circulam na cidade

JESSICA MARQUES

A operação de trólebus na capital paulista contribui para a redução de 20 mil toneladas de CO2 (dióxido de carbono) por ano, Na cidade, circulam 201 veículos movidos a energia elétrica conectados à rede aérea de alimentação.

O balanço foi divulgado nesta sexta-feira, 04 de junho de 2021, pela SPTrans, que administra o transporte coletivo municipal, pois neste sábado (05), é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente.

A SPTrans ressaltou ainda que a frota municipal conta com 17 ônibus 100% elétricos movidos a bateria, que também contribuem para reduzir a emissão de poluentes.

Além disso, toda a frota de ônibus da cidade circula com um combustível que é uma mistura de 90% diesel S10 (menor teor de enxofre) e 10% biodiesel (B10). Junto à medida, atualmente, 92% da frota está equipada com motor Euro V, com sistema de filtragem.

Combinadas, as estratégias também reduzem as emissões. Segundo a SPTrans, todos os ônibus novos entram em circulação com essa tecnologia.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo ressaltou que está comprometida em promover tecnologias mais limpas e sustentáveis para o sistema de ônibus da cidade. A principal delas é a redução progressiva das emissões de poluentes tóxicos de forma gradual em conformidade com a lei municipal 16.802/2018.

“A frota segue sendo renovada como previsto contratualmente e somente nos cinco primeiros meses de 2021, 656 ônibus novos foram incluídos no sistema municipal de transporte coletivo público. A substituição de veículos mais antigos que são mais poluentes por novos veículos que emitem menos também contribui para a redução da emissão de poluentes. A SPTrans realiza ainda inspeções na frota de ônibus municipais para garantir os padrões de qualidade exigidos no sistema de transporte da capital, incluindo os níveis de emissão de poluentes.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Fabio Almeida disse:

    Essa redução seria ainda maior se a Marta não tivesse desativado metade da rede de trólebus

Deixe uma resposta para Fabio Almeida Cancelar resposta