Transporte coletivo de Teresina (PI) tem nova greve iniciada nesta segunda (31)

Foto: Juciêr Ylias/Ônibus Brasil

Das empresas que compõem o consórcio, apenas duas estão operando

WILLIAN MOREIRA

A população de Teresina, no Piauí, novamente é afetada por uma greve do transporte coletivo municipal, iniciada nesta segunda-feira, 31 de maio de 2021, pelos trabalhadores do Consórcio Theresina.

Os rodoviários protestam contra o atraso no pagamento de salários, com alguns deles sem receber desde janeiro deste ano.

O consórcio possui seis empresas, e três estão com as atividades paralisadas, afetando a Zona Sudoeste da capital piauiense.
A categoria afirma que os trabalhadores passam por dificuldades em razão de estarem trabalhando sem receber salários, dependendo de doações de comida para se alimentar.

O motivo apontado pelo Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) é a dificuldade financeira em razão da pandemia da covid-19 que diminuiu a demanda pelo transporte, ao mesmo tempo em que o valor dos insumos, como o combustível, passaram por aumentos.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) esclarece que tem enfrentado problemas no setor, como a queda na arrecadação de recursos e redução de passageiros transportados. As dificuldades no sistema atualmente estão aumentando e diante disso, os seis carros da empresa Emtracol, que atende a Zona Sudeste foram impedidos hoje pelo movimento grevista de saírem das garagens.

A entidade reitera que a frota das demais empresas continuam em operação. O Setut informa ainda que está em busca de soluções efetivas para o controle de crise no sistema e que depende de repasses financeiros, vigentes em contrato, da Prefeitura de Teresina, para evitar um colapso no setor”, disse a entidade ao Diário do Transporte por meio de nota em 19 de maio, quando uma greve afetou o mesmo consórcio. Relembre:

Teresina (PI) amanhece com greve parcial de ônibus

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta