Piracicaba (SP) fará alterações no transporte coletivo a partir de junho

Região atualmente é atendida pela linha 322-Novo Horizonte. Foto: Guilherme Estevan / Ônibus Brasil.

Bairros próximos ao Novo Horizonte terão um itinerário sem passar pelo Santa Fé, que também terão linha exclusiva; data não foi definida

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Piracicaba, no interior paulista, informou que fará alterações no transporte coletivo a partir de junho.

Com as mudanças, os bairros que se localizam próximo ao Novo Horizonte terão uma única linha, sem passar pelo Santa Fé, assim como os bairros que se localizam na região do Santa Fé terão também um itinerário que não passa pelo Novo Horizonte.

As alterações serão realizadas pelo Semuttran (Departamento de Transportes Públicos da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Trânsito e Transportes).

Nas últimas semanas, o departamento realizou estudos para a criação de um projeto do serviço de transporte coletivo para a região do Novo Horizonte. A implantação das mudanças está prevista para acontecer durante o mês de junho, mas não foi definida uma data exata.

Esta região, que envolve vários bairros, entre eles, Novo Horizonte, Sabiás, Santa Fé, Santa Clara, atualmente é atendida pela linha 322-Novo Horizonte.

“Entretanto, devido ao crescimento populacional, especialmente dos bairros Santa Fé e Santa Clara, o serviço vigente de transporte coletivo de ônibus não consegue atender de maneira satisfatória aos moradores desses bairros”, explica o secretário de Trânsito, José Vicente Caixeta Filho.

De acordo com o diretor de transportes da Semuttran, Vanderlei Quartarolo, essa mudança deverá ocorrer inicialmente somente de segunda à sexta-feira, sendo que aos finais de semana e feriados, quando a demanda de usuários normalmente é menor, o atendimento se manterá como ocorre hoje, com os dois bairros sendo atendidos por uma única linha.

Atualmente, esta região é atendida por dez ônibus e, com o novo projeto, haverá acréscimo de 10% na frota que atende a esta região, passando a contar nas duas linhas com um total de 11 onze ônibus.

Quartarolo lembra que como a ocupação habitacional nesses bairros vem ocorrendo de forma expressiva, “espera-se que com esse tipo de mudança, possa dimensionar a oferta de viagens de ônibus na região de forma mais adequada”.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta