Prefeitura de São Paulo anuncia barreiras sanitárias em rodoviárias e aeroportos

Ônibus no Termoinal Tietê, na zona Norte de São Paulo

Passageiros sintomáticos serão testados. Em caso positivo do exame, serão isolados por dez dias, a partir do início dos sintomas. Plano para impedir cepa indiana do coronavírus foi apresentado ao Ministro Marcelo Queiroga neste sábado (22)

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo apresentou ao Ministério da Saúde neste sábado, 22 de maio de 2021, um plano para impedir a entrada de novas variantes da covid-19 na cidade, como a  cepa indiana do novo coronavírus. O encontro virtual teve a participação também do prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (Guti).

Entre as medidas anunciadas pelo secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, ao Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, está a proposta de uma parceria com a Polícia Rodoviária Federal para triagem por parte das equipes de saúde na busca de sintomáticos, com medida de temperatura, no Terminal Rodoviário do Tietê e nas rodovias federais Fernão Dias e Presidente Dutra.

Segundo a prefeitura, por meio de nota, os “passageiros sintomáticos, em todos os terminais serão detectados e levados para unidades de urgência da região, onde será feita a testagem com RT-PCR. Em caso positivo do exame, os mesmos serão isolados por dez dias, a partir do início dos sintomas. Caso a pessoa seja comunicante da infectada, também será isolada e monitorada por 14 dias a partir do último contato. Os assintomáticos serão orientados e receberão um check-list para detecção dos sintomas e formas de prevenção.”

Haverá ainda nas rodovias serão ações educativas.

Já nos aeroportos, como de Congonhas e o Campo de Marte na capital e o Internacional em Guarulhos, haverá emissão de alertas sonoros e visuais sobre sintomas, forma de prevenção e contenção da doença.

O principal foco, de acordo com a administração municipal, é atuar no trânsito de pessoas provenientes do Maranhão (onde foram detectadas pessoas numa embarcação com a variante), nos aeroportos, rodoviárias e rodovias, em conjunto com o Ministério da Saúde e com a Anvisa, para evitar a circulação da nova variante indiana da covid-19 na capital.

Até o momento, não foi identificada a presença das cepas indianas no município de São Paulo, onde já foram identificadas  duas variantes: P1 – Manaus e B.1.1.7 – Reino Unido. A P1 responde atualmente pela maior parte dos infectados na cidade de São Paulo.

Segundo Edson Aparecido, o ministro Marcelo adiantou que as sugestões de São Paulo serão estudadas para serem disseminadas no âmbito nacional, por meio de um trabalho conjunto e articulado entre a Anvisa e as vigilâncias locais para o enfrentamento da pandemia no país, em especial com a circulação da variante indiana, conforme nota da prefeitura.

O secretário afirmou que o ministro disponibilizou mais testes para a cidade de São Paulo.

Participaram do encontro o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, o secretário-adjunto da pasta, Luiz Carlos Zamarco, a equipe técnica da Coordenadoria de Vigilância em Saúde da capital, o secretário executivo da Secretaria de Estado da Saúde, Eduardo Ribeiro Adriano, representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além do prefeito do município de Guarulhos, Gustavo Henric Costa.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Sérgio disse:

    Muitos ônibus clandestino com destino a São Paulo ddaí de São Luís para São Paulo passando por várias cidade do estado do Maranhão sentido São Paulo Bia br 153

  2. Marly Peres disse:

    Tem que impor restrições mais severas e testar TODO mundo que entra em São Paulo e não apresenta um teste Pcr de menos de 48 horas.

  3. Ezau Oliveira da Silva disse:

    Não adianta nada fazer isso temos um presidente imbecil que não está nem aí com a vida das pessoas

  4. Jose Geraldo Santana disse:

    Fazer barreira para impedir onibus clandestinos caminhões, vindo daquela região, nas rodovias Fernão Dias, Castelo Branco, Anhanguera, Bandeirantes, RaposoTavares e Pres. Dutra.

  5. Veronica Ferreira disse:

    Necessaria fiscalizacao e barreiras sanitarias na BR 153. Maranhenses desembarcam de caminhoes e transitam diariamente nas cidades a beira da rodovia.

Deixe uma resposta