Rodoviários paralisam operação de ônibus em Manaus (AM) nesta quarta (19)

IMMU informou ter sido pego de surpresa, por não ter recebido comunicação oficial do sindicato. Foto: Divulgação / PM.

Operação foi normalizada no fim da tarde

JESSICA MARQUES

Os rodoviários de Manaus, no Amazonas, realizaram uma paralisação de ônibus em Manaus na tarde desta quarta-feira, 19 de maio de 2021.

A categoria cruzou os braços por volta das 14h30, mas a operação foi normalizada no fim da tarde. Ao todo, mais de 800 ônibus ficaram parados em diversos pontos da cidade, segundo o sindicato dos trabalhadores.

O ato foi feito para cobrar a imunização dos rodoviários contra a covid-19, além de protestar contra o atraso no pagamento de tickets de alimentação e férias atrasadas. O sindicato também pede reajustes salariais.

IMMU NÃO FOI NOTIFICADO

O IMMU (Instituto Municipal de Mobilidade Urbana) informou, em nota, que foi pego de surpresa, pela paralisação não programada dos motoristas de ônibus do transporte coletivo que operam no terminal 1 (T1) e em outros pontos da cidade.

O órgão detalhou que os ônibus ficaram parados também na Avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul da cidade.

“O IMMU não recebeu nenhuma comunicação oficial, por parte do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, sobre uma possível paralisação dos motoristas do sistema de transporte e suas motivações”, detalhou o órgão.

Em nota, a Prefeitura de Manaus informou que tem intermediado os acordos ao longo de 2021 com o Sinetram (Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas), garantindo uma solução para o pagamento do salário dos trabalhadores, para que não haja a possibilidade de greve da categoria.

“Além das demandas salariais, o prefeito David Almeida entrou com um pedido, junto ao Ministério da Saúde, solicitando a inclusão dos motoristas e cobradores no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19. O prefeito David Almeida não tem medido esforços para garantir que os trabalhadores do transporte público tenham seus salários pagos dentro da normalidade e que os usuários dos ônibus não sejam prejudicados com greves sem prévia programação”, ponderou a Prefeitura.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta