Motoristas da Metrobus iniciam greve no transporte coletivo de Goiânia (GO)

Foto: Reprodução SindColetivo

Trabalhadores pedem reajuste salarial e a inclusão do grupo na vacinação prioritária contra o coronavírus. Liminar obtida pelas empresas determina multa diária de R$ 10 mil 

WILLIAN MOREIRA

Como anunciado dias atrás, os rodoviários da MetroBus, que atua no transporte coletivo de Goiânia e região metropolitana, entraram em greve nesta terça-feira, 11 de maio de 2021, interrompendo as atividades.

No entanto, as demais empresas operam normalmente, segundo o sindicato patronal.

O desembargador Mário Sérgio Botazzo, do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás, atendeu na noite dessa segunda-feira (10) ao pedido de liminar feito pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo da região Metropolitana de Goiânia (SET) e determinou a suspensão da greve dos motoristas.

Em nota, o SET informou: “Desembargador entendeu a abusividade do exercício do direito de greve dos trabalhadores e deferiu o pedido determinando que o sindicato dos trabalhadores suspenda a paralisação. A decisão ainda determina multa diária de R$ 10.000,00 ao Sindicoletivo em caso de descumprimento”.

A categoria reivindica um reajuste salarial e reclama de não ter recebido qualquer proposta patronal desde março deste ano. Além disso, os trabalhadores querem ser vacinados contra o coronavírus.

O movimento na Metrobus começou após a meia noite, impedindo a saída dos veículos da garagem, com os manifestantes se concentrando em frente à empresa.

A Polícia Militar está na garagem da Metrobus, e vídeos postados por trabalhadores no Facebook informam que o presidente do Sindicoletivo teria sido preso na ação policial.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta