CAF abre chamamento internacional para projetos executivos de obras antienchente em Santo André

Córrego Taióca, próximo ao Parque Estadual da Chácara Baronesa, na divisa com São Bernardo do Campo. Foto: Divulgação.

Estudos de canalização envolvem os córregos Taióca e Maurício de Medeiros, que ficam em rotas de ônibus na cidade

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

O CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina) abriu um chamamento internacional para contratar projetos executivos de obras de drenagem e para evitar enchentes na região dos córregos Maurício de Medeiros (Jardim Irene), Taióca (próximo ao Parque Estadual da Chácara Baronesa, no limite com São Bernardo do Campo) e Guarará (nos bairros Vila América e Vila Pires).

Estes córregos ficam próximos a rotas de ônibus municipais e metropolitanos. Os transbordamentos afetam o serviço de transporte, causando transtornos, além da destruição de residências e patrimônios de famílias.

Além da canalização, estão previstas outras intervenções, como o remanejamento de redes de água e esgoto, implantação de dispositivos que compõem o sistema de drenagem e obra viária (este último na região do córrego Taióca).

“A medida tem como objetivo complementar intervenções executadas pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) por meio do Programa Sanear Santo André, que recebe financiamento de US$ 50 milhões pela instituição financeira e é um dos maiores investimentos em obras de saneamento, drenagem e infraestrutura urbana da história do município”, explicou o superintendente do Semasa, Gilvan Junior, em nota.

A CAF firmou junto à Prefeitura um acordo de cooperação técnica. Ou seja, a contratação dos projetos executivos, que têm orçamento de US$ 570 mil, será financiada com recursos a fundo perdido, sem necessidade de reembolso por parte da administração municipal.

Segundo a Prefeitura, o chamamento envolve o desenvolvimento e a atualização de projetos que já foram idealizados pelo Semasa, como a canalização dos córregos Taióca e Maurício de Medeiros. Em ambos, há descarte irregular de resíduos nas margens e histórico de transbordamento.

Na Vila Pires, projeta-se a implantação de sete microrreservatórios (piscininhas), além de outras obras de drenagem, para deter parte significativa de águas pluviais e mitigar a possibilidade de extravasamento do córrego Guarará. A capacidade de armazenamento dos reservatórios será de cerca de 5.800 metros cúbicos de água.

Por sua vez, na Vila América, um dos bairros mais afetados pelo transbordamento do Guarará, haverá desenvolvimento de estudos que buscam soluções para a melhoria do escoamento de águas pluviais.

ENVIO DOS PROJETOS

As empresas interessadas podem enviar as propostas de forma digital até as 18h (horário de Brasília) do dia 14 de junho, por meio do endereço eletrônico santoandre_ppsa@caf.com. Os projetos executivos devem ser entregues em português, já que os estudos serão realizados no Brasil.

A publicação da convocatória está disponível no site da CAF, por meio do link https://bit.ly/3b8qYRt. A supervisão das consultorias será realizada de forma conjunta por equipes técnicas da CAF e do Semasa. A execução de todas as obras, caso elas sejam viabilizadas, será de responsabilidade da autarquia.

Como os recursos são a fundo perdido, todo o processo de seleção e contratação segue as normativas internas da CAF, e não da lei brasileira de licitações e contratações.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta