Grande Goiânia pode ficar sem transporte coletivo na terça-feira (11)

Foto: Vicente Barbosa / Ônibus Brasil

Data-base da categoria é em março, e até o momento sindicato reclama não ter recebido nenhuma proposta de reajuste salarial das empresas

ALEXANDRE PELEGI

A região metropolitana de Goiânia pode amanhecer sem transporte coletivo na próxima terça-feira, 11 de maio de 2021.

Em vídeo divulgado na manhã dessa sexta-feira, 07 de maio, o diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo de Goiânia e Região Metropolitana (Sindicoletivo), Carlos Alberto Luiz dos Santos confirmou a paralisação.

A decisão foi tomada de forma unânime em assembleia geral da categoria no dia 2 de maio.

A data-base da categoria é em março, e até o momento o sindicato reclama não ter recebido nenhuma proposta de reajuste salarial das empresas.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo e Passageiros de Goiânia e Região Metropolitana (SET) afirmou ter recebido com espanto o comunicado do aviso de greve.

Ainda segundo a entidade patronal, na próxima segunda-feira (10), às 14h30, o TRT-18 receberá os dois sindicatos para buscar uma conciliação para evitar a greve.

O SET afirma que as empresas têm mantido os empregos e cumprido o Acordo Coletivo de Trabalho dos Motoristas do Transporte Público de Passageiros de Goiânia.

Confira a nota na íntegra:

É com espanto que as empresas receberam o comunicado do aviso de greve do Sindicoletivo. Num momento em que todos têm dado sua contribuição para a manutenção da operação e dos mais de 4 mil empregos do sistema, o Sindicato dos Trabalhadores, uma das poucas categorias profissionais que tiveram algum reajuste durante a pandemia, afronta toda a sociedade.

As empresas têm mantido os empregos e cumprido o Acordo Coletivo de Trabalho dos Motoristas do Transporte Público de Passageiros de Goiânia, firmado quando da discussão do dissídio coletivo da categoria no final do ano passado junto do Tribunal Regional de Trabalho da 18ª Região (TRT-18). De acordo com o que foi acordado durante dissídio coletivo no final do ano passado, desde janeiro desde ano, a categoria está recebendo com aumento no ticket e no salário.

Desde há cerca de 1 mês atrás, três reuniões foram realizadas entre as partes na Secretarial Regional do Trabalho, quando o Sindicoletivo apresentou uma proposta e recebeu do SET a respectiva contraproposta. Até o momento, nenhuma resposta do Sindicoletivo foi enviada ao SET.

Quanto à vacinação contra Covid-19, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo da região Metropolitana de Goiânia (SET) apoia a luta para incluir os profissionais que estão na linha de frente da operação no grupo de risco para que recebam a vacina. “Da mesma forma que foi anunciado pelo Governador do Estado de Goiás para a Polícia Militar, esperamos que o mesmo possa ser feito com os motoristas e demais profissionais, que têm dado sua contribuição diária na manutenção do serviço de transporte público, essencial para a mobilidade das cidades. Nós estamos trabalhando, inclusive, junto ao poder público para que isso aconteça”, defende Adriano Oliveira, presidente do Sindicato.

O SET ingressou ontem (06/05/21) com pedido de mediação no TRT-18 para impedir que haja qualquer tipo de paralisação e conta com a sensibilidade do judiciário e Ministério Público no entendimento do momento crítico pelo qual passa toda sociedade. Na próxima segunda-feira, dia 10, às 14h30, o TRT-18 irá receber os dois sindicatos numa tentativa de conciliação para suspensão da greve.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Thiara da Silva Sousa disse:

    Quero saber se amanhã vai ter ônibus.

Deixe uma resposta