Barretos (SP) renova contratação emergencial da Expresso Itamarati por mais 90 dias

Itamarati entrou em operação em caráter emergencial no dia 1º de fevereiro de 2021. Foto: Prefeitura de Barretos

Prefeitura realiza processo licitatório que definirá nova concessionária para os próximos anos; certame está marcado para 12 de maio

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Barretos, interior de São Paulo, contratou novamente e de forma direta a empresa Expresso Itamarati para operar o transporte público na cidade.

O primeiro contrato emergencial foi assinado em 28 de janeiro de 2021 pela prefeita Paula Lemos com período de 90 dias, portanto já prestes a vencer.

Nesse novo contrato, ratificado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira, 29 de abril de 2021, a prefeita garante os serviços de transporte no município por mais 90 dias no valor total estimado de R$ 494.999,91.

A contratação emergencial com a Itamarati foi necessária após a prefeitura ter rompido o contrato de concessão com a concessionária anterior, a empresa Viasa, que não pagava seus funcionários, nem operava com o número de ônibus estabelecido por contrato.

Barretos também lançou licitação para o transporte, conforme publicação em 10 de abril de 2021.

A data de entrega dos envelopes das empresas participantes está marcada para 12 de maio próximo.

Para o sistema de linhas urbanas, a concorrência prevê uma concessão de 240 meses (20 anos) e o principal critério é o de menor preço da tarifa combinado com a maior outorga para determinar a empresa vencedora.

O projeto básico do sistema apresentado em audiência pública prevê uma frota de 28 ônibus para 25 linhas e ainda mais quatro coletivos de reserva.

Todos os ônibus devem ser acessíveis para pessoas com deficiência e a idade média da frota deve ser de até sete anos. Os ônibus devem ser licenciados em Barretos.

A empresa que operar o sistema deve realizar investimentos mínimos de R$ 6,47 milhões (R$ 6.470.000,00), incluindo o valor da outorga mínima de R$ 320 mil que deve ser apresentada na proposta.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta