São Bernardo do Campo tem 70% da frota de ônibus em operação e toque de recolher continua das 22h às 04h na segunda semana da fase de transição

Prefeito Orlando Morando em transmissão pela internet

Cidade vai seguir as linhas gerais do Plano São Paulo contra a covid-19

ADAMO BAZANI

A cidade de São Paulo Bernardo do Campo, no ABC Paulista, vai adotar as principais regras da segunda etapa da fase emergencial do Plano São Paulo contra a covid-19 a partir deste sábado, 24 de janeiro de 2021.

Em transmissão por redes sociais, o prefeito Orlando Morando disse que, além de comércios e shoppings que passaram a atender desde o dia 18 das 11h às 19h com 25% da capacidade, a partir de sábado, estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes, salões de beleza, barbearias e atrações culturais voltam a funcionar, também das 11h às 19h com 25% de ocupação.

Parques municipais também vão reabrir.

Segundo Morando, a cidade, entretanto, vai manter um toque de recolher próprio, das 22h às 04h, com a interrupção de serviços, como de transportes municipais.

A frota de ônibus deve continuar em 70% do que era colocado nas ruas antes da pandemia.

“O toque de recolher continua das 22h até às 04h. Nós continuamos com o toque de recolher (…) Nós estamos com 70% da frota e com menos de 50% do público. A concessionária vai aumentando, conforme está crescendo o número de usuários. Nós estamos aqui monitorando e fazendo uma rigorosa fiscalização” – disse o prefeito.

Ouça:

Assim, em São Bernardo do Campo, os ônibus municipais operados pela empresa BR7 Mobilidade continuam sendo recolhidos às 22h e retornando às 04h, mas os trólebus da Metra no Corredor ABD e os ônibus gerenciados pela EMTU não possuem limitações de horários.

Em São Bernardo do Campo operam linhas da EMTU empresas de como Viação ABC, Expresso SBC, Trans-Bus, Rigras, Imigrantes, Triângulo, Riacho Grande, Urbana (Rudge Ramos), São Camilo (Rudge Ramos), entre outras.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Karina disse:

    As condições como os ônibus está superlotado . Cadê as fiscalização dos ônibus que carrega a população dentro como se fosse um monte de animais super lotados e ninguém fiscaliza . Para falar a verdade como que vai ter cura se não temos vacina suficiente para todos e com os ônibus super lotados e quando falamos para o motorista « não dá para por mais gente moto » aí ele responde: » o que foi dito para nós era para por o máximo de pessoa que poder dentro e falou que não era para deixar de parar se alguém desse o sinal independente se estivesse lotado ou não « .

Deixe uma resposta