Prefeitura do Rio promete dobrar frota de articulados no BRT até setembro

Estações também serão recuperadas, segundo a equipe de intervenção. Foto: Divulgação / BRT Rio.

No início da intervenção, 120 veículos deste modelo estavam operando e meta é chegar a 241

JESSICA MARQUES

A equipe de intervenção da Prefeitura do Rio de Janeiro no BRT completou um mês nesta sexta-feira, 23 de abril de 2021. Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes e o grupo prometeram dobrar a frota de articulados no BRT até setembro.

Segundo a Prefeitura, nos 297 articulados encontrados nas três garagens, apenas 120 estavam circulando no primeiro dia de intervenção, muitos deles em estado extremamente precário.

Agora, a equipe de intervenção está mobilizada para aumentar gradativamente a frota disponibilizada para atingir a meta de 241 articulados até setembro.

“Atualmente, são 145 articulados em operação. Até a semana que vem, serão 150. Esse aumento é resultado apenas da manutenção corretiva aplicada aos ônibus. Com aporte de recursos públicos em ações específicas será possível aumentar o investimento em manutenção preventiva, evitando as falhas mecânicas, que prejudicam a confiabilidade da frota, e permitindo mais articulados na operação”, detalhou a Prefeitura.

O trabalho de intervenção está sendo liderado por Claudia Secin, atual presidente do BRT Rio.

ESTAÇÕES

Além do aumento da frota, outras medidas estão previstas. Segundo a Prefeitura, já está sendo feito o levantamento de custos para a reforma e reabertura das 46 estações que se encontram fechadas.

Entre os serviços que serão executados estão: substituição gradual dos painéis de vidro fixos por painéis angulares em ferro vazado, para evitar o vandalismo; recuperação das instalações elétricas, dos danos estruturais e da cobertura; e pinturas interna e externa.

“Avançamos em diversos pontos, mas ainda há muito trabalho pela frente. O objetivo é melhorar o serviço e dar mais dignidade a quem utiliza o sistema. Vamos seguir recuperando os articulados para reduzir a superlotação, principalmente nos horários de pico. Outra meta é reabrir estações de BRT fechadas por problemas de vandalismo e segurança ao longo dos próximos meses”, disse a secretária de Transportes, Maína Celidonio.

DIRETÕES

Em nota, a equipe informou ainda que neste período foram criadas três linhas eventuais de apoio (batizadas de ‘Diretão’), e intensificada a organização de filas nas estações e terminais.

A Prefeitura detalhou ainda que a primeira medida adotada foi a criação do serviço eventual de ônibus convencionais no trajeto entre Santa Cruz e o Terminal Alvorada nos horários de pico da manhã e da tarde.

O serviço de ‘Diretões’ foi ampliado no decorrer do último mês e já atende à demanda também dos passageiros que utilizam as estações do BRT Pingo D’Água e Magarça. Na próxima semana, será estendido até a estação Mato Alto. No total, o reforço à frota será de 90 ônibus comuns.

“A operação com as linhas auxiliares começou pelo corredor Transoeste por ser o de maior demanda. Com a redução do fluxo de passageiros nos articulados, alguns veículos passarão a atender o corredor Transcarioca.”

APORTE

A Câmara Municipal autorizou o aporte da Prefeitura do Rio no BRT, no valor de R$ 133 milhões. Os recursos serão destinados à recuperação do sistema, durante a intervenção, com investimentos na reforma e reabertura das estações que se encontram fechadas, ações para trazer mais segurança e conforto aos passageiros, compra de combustível e pagamento de folha de funcionários.

Em nota, a equipe de intervenção afirmou ainda que também serão injetados recursos públicos para solucionar o déficit do BRT Rio.

“No final da intervenção, todos os gastos públicos serão contabilizados e incluídos em um acerto de contas a ser realizado com os consórcios responsáveis pela operação do sistema.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta