Diário no Sul

Prefeitura de Erechim (RS) negocia com empresa Gaurama para evitar paralisação parcial do transporte coletivo

Foto: prefeitura de Erechim (RS)

Concessionária comunicou que reduzirá serviços devido ao agravamento da situação financeira. Paralisação, marcada pela empresa para 19 de abril, foi prorrogada para 25 de abril

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Erechim, no Rio Grande do Sul, cidade com 106 mil habitantes, corre o risco de ficar sem transporte coletivo a partir do dia 25 de abril de 2021.

A Empresa de Transportes Gaurama, atual concessionária do transporte coletivo do município, comunicou inicialmente na quarta-feira, 14 de abril de 2021, que iria paralisar parcialmente os serviços devido ao agravamento de sua situação financeira. De acordo com nota divulgada nesse dia, a Gaurama atribuiu a situação à pandemia, o que deixou a empresa com absoluta impossibilidade operacional de manter suas atividades.

Os serviços ficariam suspensos por tempo indeterminado, e seriam mantidos apenas e tão somente “o mínimo necessário para não deixar a população desatendida”, dizia nota da empresa.

Nesse mesmo dia a prefeitura divulgou nota oficial, em que informou que a Secretaria de Administração estava analisando pedido de reequilíbrio econômico financeiro feito pela empresa de ônibus. Ainda na nota, a prefeitura informava que o reequilíbrio está previsto em contrato assinado entre o município e a empresa.

Neste momento o Poder Público, através do gestor do contrato com a Empresa Gaurama, realiza a análise das planilhas econômicas apresentadas pela prestadora do serviço de transporte coletivo”, dizia a nota oficial da administração municipal.

Por fim, a prefeitura diz que contatou o proprietário da Gaurama, bem como o jurídico da empresa, “solicitando que não realizem a paralisação parcial do transporte público a partir de 19 de abril de 2021”.

Dois dias depois, portanto nessa sexta-feira (16), a Gaurama divulgou outra nota, onde dizia que “em função da repercussão havida e das naturais preocupações de toda a população com a suspensão do serviço, ficou decidido que a paralisação ocorrerá, nos termos já descritos, porém com nova data, desta vez em caráter improrrogável”.

Ao invés de 19 de abril, a Gaurama informou que vai interromper os serviços no dia 25 de abril. A paralisação se dará por tempo indeterminado, “com a supressão de horários, linhas e itinerários cuja manutenção não paga os custos da operação, mantendo os serviços em um percentual mínimo, a fim de causar o mínimo possível de transtornos à população em geral”.

A empresa finaliza a nota informando que a decisão “não se trata de medida de caráter político ou represália contra quem quer que seja, mas apenas e tão somente uma medida extremada e necessária por absolutas questões econômico-financeiras”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta