Osasco incorpora “fase de transição” e destaca necessidade de reduzir aglomeração no transporte público em decreto

Ônibus da Viação Osasco, uma das empresas da cidade

Decreto municipal não traz detalhamentos de horários das atividades liberadas, mas institui a fase de acordo com o que foi elaborado pelo Governo do Estado de São Paulo, que tem as regras específicas

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo, publicou decreto instituindo a fase de transição do plano do Governo Estadual na cidade para conter o avanço da covid-19, mas ao mesmo tempo flexibilizar o funcionamento de algumas atividades.

A fase de transição é mais liberal que a fase vermelha, mas possui mais restrições que a fase laranja, valendo até o dia 30 de abril.

No decreto, assinado pelo prefeito Rogério Lins, são destacadas as necessidades de manter a higienização, o distanciamento social, o uso de máscara e “iniciativas para diluição da aglomeração no transporte público”

A cidade é servida por duas empresas de ônibus municipais (Auto Viação Urubupungá e Viação Osasco), linhas metropolitanas de ônibus gerenciadas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) e a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O documento não traz os detalhamentos sobre horários de funcionamento das atividades liberadas, mas, diz que segue a fase elaborada pelo Governo do Estado.

O Município de Osasco institui a FASE DE TRANSIÇÃO, de caráter temporário e excepcional, da Fase Vermelha para a Fase Laranja do Plano São Paulo, elaborado pelo Governo do Estado de São Paulo, respeitados os critérios de segurança e saúde propostos pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Osasco e as diretrizes e condições do Comitê de Combate ao COVID-19 do Governo do Estado de São Paulo, nos termos dos Decretos Estaduais nº 64.881/2020 e nº 64.994/2020 e suas respectivas alterações

Assim, as regras da fase de transição determinadas pelo Governo do Estado de São Paulo são:

FASE DE TRANSIÇÃO:

Como mostrou o Diário do Transporte, a fase de transição foi anunciada pelo Governo do Estado de São Paulo em 16 de abril de 2021, para entrar em vigor entre os dias 18 e 30 de abril.

A nova norma é mais flexível que a fase vermelha, porém mais rígida que a fase laranja.

A previsão é de duas etapas:

  • 18 A 23 DE ABRIL:

Poderão ser realizados cultos e missas presenciais, mas com limitações de 25% de ocupação.

O comércio também pode reabrir, mas das 11h às 19h para não aglomerar o transporte público, também com 25% de ocupação.

  • 24 A 30 DE ABRIL:

O setor de serviços tem abertura programada para 24 de abril.

Também a partir de 24 de abril podem funcionar das 11h àa 19h: restaurantes e similares; salões de beleza e barbearias e atividades culturais. Todos estes locais devem respeitar ocupação máxima de 25% da capacidade de cada estabelecimento.

A função bar nos estabelecimentos está proibida, mas pode ser consumida bebida alcoólica junto com refeições.

Já as academias, a partir de 24 de abril, podem funcionar das 07h àa 11h e das 15h às 19h, também com 25% de ocupação.

O QUE DEVE SER SEGUIDO NAS DUAS ETAPAS DA FASE DE TRANSIÇÃO:

– O toque de recolher entre 20h e 05h é mantido;

– Mantida a recomendação de escalonamento dos horários de trabalho para não sobrecarregar ônibus, trens e metrôs nos horários de pico;

– O teletrabalho (home office) de atividades administrativas não essenciais também permanece;

– Todos os estabelecimentos, sejam religiosos, de comércio e serviços, autorizados a funcionar devem respeitar 25% de ocupação.

Veja mais detalhes em:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/16/gestao-doria-fase-no-plano-sao-paulo-de-quarentena/

Veja o decreto de Osasco:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Eduardo andy disse:

    Piada neh ? Podia sabemos da máfia q Eh em osasco

  2. Thais Pinho Santos Tiago disse:

    Precisa é aumentar a quantidade de ônibus nas linhas, onde eu moro mesmo chega a levar 30 minutos de um ônibus para outro em horário de pico e quando vem lota, não tem jeito.

  3. miguel arcanjo de souza disse:

    No dia 17/03/2021, esperei ônibus no 1º ponto da rua prof. José de Azevedo Minhoto no sentido cidade-bairro, das 20H25min às 21H15min (50min). Este ponto é servido pelas linhas 012, 030, 032 e 06, que eu utilizo. Quando tomei o ônibus linha 030, gastei apenas 10min para chegar ao meu destino que é o ponto defronte ao Céu José Saramago, na av. João de Andrade. Além disso tenho notado que tem mais ônibus intermunicipal que é mais caro, por ex. a linha 263 que custa R$ 5,20. Ou seja as empresas colocam ônibus mais caros, para lucrar mais. Será que não percebem que menos ônibus provoca super lotação nas conduções e que isso pode contaminar, adoecer e matar o povo nessa pandemia?

Deixe uma resposta para Thais Pinho Santos Tiago Cancelar resposta