BYD lança o primeiro ônibus 100% elétrico no Paquistão

Ônibus 100% elétrico BYD K9 operando em Karachi, Paquistão. Foto: Divulgação.

Operação experimental de 15 dias foi realizada em Karachi, a maior cidade do país

JESSICA MARQUES

A BYD divulgou nesta sexta-feira, 16 de abril de 2021, o lançamento do primeiro ônibus 100% elétrico no Paquistão.

Recentemente, a BYD e a parceira Pakistani concluíram uma operação experimental de 15 dias com o ônibus 100% elétrico BYD K9 em Karachi, a maior cidade do Paquistão.

“Este é o primeiro ônibus 100% elétrico no Paquistão e também é a primeira vez que a Província de Sindh faz testes com um ônibus elétrico. O governo local pretende implantar uma frota com 100 ônibus 100% elétricos em 2021”, detalhou a BYD, em nota.

Com cerca de 16 milhões de habitantes, Karachi é a capital costeira da província de Sindh e um polo de transporte, conectando Ásia, África e Europa.

O ônibus BYD K9 entregue recentemente deverá realizar uma operação circular na cidade. Ao todo, são 35 assentos para os passageiros no veículo.

“O sucesso nos testes com o ônibus 100% elétrico marca um importante passo em direção à eletrificação. Agora planejamos adicionar à frota 100 unidades dos ônibus 100% elétricos e esperamos que nosso sistema público de transporte seja capaz de popularizar estes ônibus no futuro”, afirmou o ministro do Transporte de Sindh, Syed Awais Qadir Shah.

Em nota, a BYD informou que, com Karachi assumindo a liderança na introdução de ônibus 100% elétricos no Paquistão, a empresa pretende ajudar na eletrificação do transporte desta nação do sul da Ásia e promover um sistema de serviço de ônibus 100% elétricos mais completo em todo o país.

“No momento, a BYD atende com sucesso os mercados de muitos outros países da região da Ásia-Pacífico, incluindo Japão, Coréia, Singapura, Austrália, Índia e mais. Globalmente, os ônibus e táxis 100% elétricos da marca se espalharam por mais de 300 cidades, operando em mais de 50 países e regiões.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta