Demanda de ônibus na capital paulista não tem alteração significativa entre fase emergencial e fase vermelha do Plano São Paulo de Doria

SPTrans diz que percentual de frota está maior que da demanda

Quantidade de passageiros variou pouco na comparação entre as segundas-feiras. Maior variação foi em relação à segunda-feira de feriado antecipado

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

Entre a segunda-feira, 05 de abril de 2021, quando São Paulo estava na fase emergencial de restrições contra a covid-19, e a segunda-feira, 12 de abril de 2021, primeiro dia da fase vermelha (um pouco menos restritiva), a demanda de passageiros de ônibus no sistema municipal da capital paulista praticamente ficou estável.

De acordo com o Boletim Especial Covid-19, da SMT (Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes), na segunda-feira de fase emergencial, foi transportada uma demanda de 1,54 milhão de passageiros e na fase vermelha, foram transportadas 1,57 milhão de pessoas no sistema gerenciado pela SPTrans (São Paulo Transporte), diferença de 1,95%

A maior diferença está na comparação entre a segunda-feira, 29 de março de 2021, quando era fase emergencial, mas com feriado antecipado, e a segunda-feira, 12 de abril na fase vermelha.

Foram 1,17 milhão de pessoas na segunda-feira de fase emergencial com feriado e 1,57 milhão na segunda-feira, 12 de abril: diferença de 34,18%.

Segunda-feira (12 de abril): 1,57 milhão

Segunda-feira (05 de abril): 1,54 milhão

Segunda-feira (29 de março): 1,17 milhão

De acordo com o boletim, entre as diferentes fases não houve mudança na frota em operação, que ficou em 11 mil ônibus aproximadamente, ou 88% da quantidade de ônibus de antes da pandemia

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta