Diário no Sul

Greve do transporte coletivo em Maringá (PR) entra no segundo dia com 25% da frota nas ruas

Justiça rejeitou pedido da TCCC para colocar 70% da frota na rua. Foto: Itamar dos Santos/Ônibus Brasil

Paralisação ocorre como protesto pelo atraso em pagamento de salários

WILLIAN MOREIRA

A greve dos trabalhadores dos ônibus urbanos de Maringá, no Paraná, operados pela empresa TCCC (Transporte Coletivo Cidade Canção), entra no segundo dia nesta sexta-feira, 9 de abril de 2021, mas com a circulação de 25% da frota para atender a população.

Os funcionários da TCCC se queixam de que o pagamento dos salários está atrasado, enquanto a empresa alega dificuldades financeiras devido à pandemia. A TCCC diz que até o final de semana espera regularizar as pendências com seus colaboradores.

A Justiça, ainda nessa quinta-feira (8), determinou por meio de liminar que o sindicato da categoria e motoristas não impedissem a saída dos veículos das garagens sob pena de multa em R$ 15 mil por dia, mas rejeitou o pedido da empresa de ônibus para retomar a operação com 70% da frota e de funcionários.

Já o Sinttromar (Sindicato dos Motoristas Condutores de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Empresas de Transporte de Cargas, Passageiros Urbanos, Motoristas, Cobradores de Linhas Intermunicipais e de Turismo e Anexos de Maringá), apesar de dizer no inicio da greve que os trabalhadores estão dois anos sem reajuste, afirmou que o movimento não tem sua participação, e está sendo conduzido exclusivamente pelos colaboradores da TCCC.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta