Feriados antecipados e “lockdown noturno” fazem ocupação de UTIs no ABC para a covid-19 cair para menos de 90%, diz consórcio

Ônibus em Santo André são recolhidos mais cedo

Segundo presidente da entidade, Paulo Serra, queda da circulação de pessoas nas ruas e no transporte público contribuiu para os resultados.  São Bernardo do Campo flexibilizou restrições e pode ser seguida por outros prefeitos da região

ADAMO BAZANI

Os feriados antecipados e o “lockdown noturno”, com as restrições de circulação no fim de noite e madrugada, inclusive com recolha mais cedo dos ônibus municipais, contribuíram para queda no nível de ocupação dos leitos destinados a pacientes com covid-19 no ABC Paulista.

A conclusão é do Consórcio Intermunicipal do ABC, entidade que reúne os prefeitos da região, divulgada no início da noite desta quinta-feira, 08 de abril de 2021.

Os números, entretanto, continuam altos e condizentes ainda com a manutenção da fase emergencial do Plano São Paulo, de acordo com os parâmetros do Governo do Estado

Segundo o consórcio, a ocupação de leitos de UTI na região atingiu 89,6% na última terça-feira (06) e caiu para 88,6% na quarta-feira (07), após 24 dias acima de 90%, de acordo com dados da Fundação Seade.

Entre 24 de março e 06 de abril, a média móvel de casos recuou 15%, de 873 para 742, e a média móvel de internações diárias diminuiu 30%, de 340 para 240. Uma variação de 15% é o limite para o movimento da média móvel ainda ser considerada estável.

Em nota, o presidente da entidade, Paulo Serra, disse que queda da circulação de pessoas nas ruas e no transporte público contribuíram para os resultados.

“Iniciativas como lockdown noturno e a antecipação de feriados, que foram tomadas visando à proteção da vida da população, reduziram significativamente a circulação de pessoas nas ruas e no transporte público. Mesmo diante da melhora nos números, a situação ainda exige que continuemos tomando todos os cuidados, seguindo as medidas de higiene e com o uso correto de máscaras”, disse Paulo Serram que também é prefeito de Santo André

SBC FLEXIBILIZOU E PREFEITOS NÃO DESCARTAM SEGUIR O EXEMPLO:

Como mostrou o Diário do Transporte, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, anunciou uma série de flexibilizações que não estão previstas na fase emergencial do Plano São Paulo, como a abertura de escritórios (advocacia, contabilidade, imobiliárias, entre outros) e o atendimento presencial em lojas de material de construção, ferragens, produtos de limpeza e de equipamentos de tratamento de água.

As medidas entraram em vigor nesta quinta-feira, 08 de abril de 2021.

O chamado take away de refeições, que é a retirada nos estabelecimentos comerciais sem consumo no local, que também é proibido pelo Plano São Paulo na fase emergencial, foi liberado pelo prefeito Orlando Morando.

Os ônibus municipais operados pela BR7 Mobilidade continuam sem operar das 22h às 04h.

Segundo o próprio prefeito, durante transmissão em rede social na noite de quarta-feira (07), o nível de ocupação das UTIs de São Bernardo do Campo é de 95% e dos leitos de enfermaria estava até ontem em 66%.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/08/governo-de-sp-vai-notificar-prefeitura-de-sao-bernardo-do-campo-e-acionar-mp-por-causa-de-flexibilizacao-de-orlando-morando-na-fase-emergencial/

A inciativa própria de São Bernardo do Campo desagradou a gestão do governador João Doria (PSDB) que anunciou notificar o município do ABC Paulista e acionar o Ministério Público.

De acordo com nota do Governo do Estado em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte na manhã desta quinta-feira, 08 de abril de 2021, a Justiça decidiu que as cidades só podem tomar medidas mais restritivas e nunca mais brandas que as normas estaduais que estão em vigor.

As Prefeituras que descumprem o Plano São Paulo são notificadas pelo Governo do Estado, que também informa o Ministério Público para tomada de providências. Segundo o Poder Judiciário, os decretos estaduais de enfrentamento à pandemia prevalecem sobre normas editadas pelos municípios — as administrações locais possuem autonomia para ampliar as restrições, mas não flexibilizá-las. A Secretaria de Desenvolvimento Regional conta com a colaboração de todos os 645 municípios de São Paulo para ações de combate ao coronavírus e proteção da saúde da população.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/08/governo-de-sp-vai-notificar-prefeitura-de-sao-bernardo-do-campo-e-acionar-mp-por-causa-de-flexibilizacao-de-orlando-morando-na-fase-emergencial/

Nos bastidores, outros prefeitos do ABC Paulista cogitam seguir exemplo semelhante ao de São Bernardo do Campo.

Como as cidades do ABC são muito interligadas geograficamente, o que uma cidade faz influencia as outras.

Assim, por exemplo, se São Bernardo do Campo abre lojas de material de construção, quem mora em Santo André ou São Caetano do Sul e precisa de um produto, em poucos minutos está na cidade vizinha seja de carro, ônibus ou trólebus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta