BYD e ADL vão entregar 126 ônibus elétricos para Glasgow em compra financiada pelo governo escocês

Ônibus de um piso para o sistema

Deste total, 91 ônibus são de dois andares e 35 de um andar. Foi a maior aquisição única

ADAMO BAZANI

A BYD e a Alexander Dennis Limited (ADL), que é considerada a maior fabricante de ônibus do Reino Unido, vão fornecer para a First Bus, operadora de Glasgow, na Escócia, 126 coletivos 100% elétricos.

Deste total, 91 ônibus de dois andares e 35 de um piso.

Parte da aquisição é financiada pelo governo escocês para a ampliação de sistemas de transportes não poluentes.

“A ADL é uma subsidiária do fabricante líder global independente de ônibus NFI Group Inc. (NFI), enquanto a BYD é líder global em baterias, gerenciamento de energia e mobilidade elétrica. Usando a tecnologia de transmissão elétrica a bateria da BYD, a ADL montará os ônibus em sua fábrica em Falkirk, garantindo que o investimento beneficie a economia local no Cinturão Central da Escócia”. – diz nota da BYD

Segundo as fabricantes, é a maior encomenda em lote único de ônibus elétricos.

Os 91 ônibus de dois andares são do modelo BYD ADL Enviro400EV, com 10,8 m de comprimento.

Já os 35 BYD ADL de piso único são do modelo Enviro200EV com comprimento de 11,6 m cada.

A estimativa é que estes veículos comecem a operar na rede de ônibus da cidade de Glasgow em março de 2023.

Duas unidades do BYD ADL Enviro200EV estão operando desde janeiro de 2020 e 22 ônibus, também de um andar, foram encomendados em fevereiro de 2021 para entrega antes da cúpula climática COP26 da ONU, que começa em 01º de novembro e vai até 12 de novembro.

Assim, frota de ônibus elétricos da empresa na maior cidade da Escócia passará para 150 veículos, todos baseados na garagem da operadora na Caledônia, onde serão recarregados à noite.

Na nota, a BYD traz declarações de representantes das empresas e de autoridades locais.

A diretora administrativa da First Bus, Janette Bell, disse: “Como líderes em mobilidade sustentável, estamos totalmente alinhados com as ambições do governo para uma frota de ônibus com zero carbono e já nos comprometemos com isso até 2035. Continuaremos a garantir que nosso progresso exceda as expectativas de nossos clientes”.

 Segundo o diretor administrativo da First Glasgow, Andrew Jarvis: “Temos liderado o caminho com as operadoras de ônibus em Glasgow como um parceiro-chave da Câmara Municipal de Glasgow e este último anúncio nos ajuda a compensar o tempo perdido devido à pandemia”.

O presidente da ADL, Paul Davies, disse: “Este é um investimento muito grande da First Bus em novos ônibus elétricos e é mais um passo em sua jornada para alcançar uma frota de emissão zero até 2035. Esses ônibus com emissão zero serão fabricados em nossa fábrica em Falkirk e é uma ótima notícia para a Escócia o fato de que este investimento esteja sendo feito na economia local, permitindo que os benefícios sejam sentidos em nossas comunidades, ajudando a sustentar empregos qualificados.”

Comentando sobre os benefícios dos veículos 100% elétricos, o diretor administrativo da BYD UK, Frank Thorpe, disse: “Cada vez mais para o governo central e local os ônibus elétricos surgiram como o método mais viável de fornecer transporte público sustentável e livre de emissões. Estou muito feliz que o governo escocês esteja apoiando esse tipo de mobilidade e espero que mais financiamento esteja disponível em todo o Reino Unido”, avalia ele. “Acreditamos firmemente que o futuro da indústria de transporte reside no desenvolvimento de veículos de novas energias, especificamente veículos puramente elétricos movidos a bateria. Os ônibus elétricos representam a melhor solução de longo prazo para os operadores de transporte público, oferecendo benefícios tangíveis e sustentáveis hoje”, conclui o executivo.

Para o diretor de Marketing e Sustentabilidade da BYD Brasil, Adalberto Maluf, “2020 foi um ano importante na luta contra as mudanças climáticas com a aprovação do European Green Deal, o 14° Plano de Desenvolvimento da China e a eleição de Joe Biden nos EUA. Hoje já são mais de 1.850 cidades que declaram emergência climática globalmente, cerca de 799 cidades pelo mundo com metas de energia renovável (25% da população mundial) e outras 67 cidades com leis específicas para a mobilidade elétrica nos ônibus (REN21). A próxima COP em Glascow será crucial para o sucesso da humanidade na redução das emissões de poluentes e gases causadores do efeito estufa.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Que banho que os britânicos estão dando no resto do mundo,que pra mim,já acabou faz tempo.

Deixe uma resposta