Campos dos Goytacazes (RJ) aperta fiscalização contra excesso de passageiros no transporte coletivo

Foto: IMTT / Prefeitura de Campos (RJ)

Decreto municipal anunciado nessa sexta (26) determina redução em 30% de capacidade de lotação em cada veículo

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, intensificou na manhã deste sábado, 27 de março de 2021, a fiscalização que visa combater o excesso de passageiros nos ônibus do transporte público municipal.

Patrulhamento do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), realizado por fiscais do órgão no bairro do Jockey, abordou o coletivo que fazia a linha Jockey x Santa Rosa.

Os fiscais constataram a lotação acima do permitido. Os passageiros que ultrapassavam o limite tiveram de descer e embarcar em outros ônibus.

O presidente do IMTT, Nelson Godá, informa que o órgão entrou em contato com as empresas para aumentar a frota dos veículos.

Estamos orientando as concessionárias para cumprir o decreto que determina a redução em 30% a sua capacidade de lotação. Além de reforçar para todos os passageiros usarem máscaras, respeitarem o limite máximo de lotação. A Linha Jockey x Santa Rosa tem mantido uma capacidade acima do permitido quase que diariamente”, destacou o presidente.

DECRETO MUNICIPAL

A Prefeitura de Campos publicou o decreto nº 105/2021 nessa sexta-feira, 26 de março de 2021.

O documento impõe medidas mais restritivas para conter a disseminação da Covid-19 no município, que entra na Fase Vermelha.

A cidade do interior fluminense continua com 100% de ocupação das vagas nos hospitais, com 24 pessoas na fila de espera de leitos de UTI. Esse quadro se manteve durante a semana, com aumento do número de casos e de óbitos.

Entre as medidas, está proibida a circulação e permanência de pessoas em vias públicas. A exceção é apenas para as pessoas com funções essenciais, como profissionais de saúde. Ou ainda para a compra de alimentos.

No caso do Transporte público o decreto determinou que a circulação de pessoas em ônibus, vans e outros meios de transporte coletivos, deverá observar a redução em 30% da capacidade de lotação, com todos os passageiros sentados.

A recomendação para táxis e motoristas de aplicativos é para que circulem com vidro dos veículos abertos, sob pena de multa e responsabilização ao Condutor e à Empresa ou Estabelecimento prestador de serviço.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta