Leilão da EAOSA e da Ribeirão Pires recebe uma proposta pelo valor de R$ 7,5 milhões

Ônibus da EAOSA

Oferta, entretanto, ainda depende de análise e eventual aprovação do juiz responsável pelo processo de recuperação judicial

ADAMO BAZANI

Foi realizado nesta terça-feira, 23 de março de 2021, o leilão das UPIs  (Unidades de Produção Isolada) na recuperação judicial do Grupo Baltazar José de Sousa (BJS) pela empresa WR Leilões .

Estas UPIs se referem às marcas de duas empresas de ônibus do Grupo: EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André) e Viação Ribeirão Pires, duas das mais tradicionais companhias de transporte de passageiros do ABC Paulista.

O Diário do Transporte acompanha.

Houve apenas uma proposta no valor de R$ 7,5 milhões, que era o mínimo estipulado em edital.

A proposta agora será submetida à análise da 6ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho – Capital de Manaus, a cargo do juiz Rosselberto Himens, responsável pelo processo.

Por causa disso, o nome de quem fez a oferta não pode ser divulgado ainda.

Nesta terça-feira (23), também estão sendo leiloados imóveis pertencentes ao  Grupo Baltazar José de Sousa (BJS).

As empresas EAOSA e Ribeirão Pires operam a Área 5 da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) com linha metropolitanas no ABC.

O leilão das UPIs não envolve nem os ônibus, nem as garagens e nem as linhas, mas só o uso da marca livre de dívidas.

O Grupo Baltazar opera entre o ABC Paulista e a capital com as seguintes empresas: Viação Ribeirão Pires, EAOSA – Empresa Auto Ônibus Santo André, EUSA – Empresa Urbana Santo André, Viação São Camilo, Viação Triângulo e Viação Imigrantes.

São aproximadamente mil funcionários e em torno de 350 ônibus em todo o grupo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. JOAO LUIS GARCIA disse:

    Agora então com a extinção da área 5 pela EMTU aonde a METRA foi declarada a única empresa que terá a exploração das linhas do ABCDM ( sendo que a mesma terá o direito de sub contratar ) as empresas para operarem na região.
    O que poderá valer a Razão Social das 02 empresas postas a Leilão ?
    Admira muito saber que houve uma proposta, pois ao adquirir as razões sociais ( sem ônibus, linhas e garagens ) o que estaria pensando esse pretenso adquirente ?
    E os processos judiciais que as 02 razões sociais trariam consigo ?
    Qual a vantagem ?
    Fica a pergunta…….
    Vamos aguardar o desfecho final

    1. William Santos disse:

      Talvez a compra das razões sociais facilite para que a nova operadora consiga operar na região sem precisar passar por todo um tramite de licitação. O que chama atenção ai é que apenas uma única empresa fez a proposta, e foi a proposta mínima. Prefiro acreditar que isso foi por conta dessa questão da Metra assumir as operações e gestão da área. Do contrário, pode-se supor até que o próprio grupo do Baltazar foi la e comprou o CNPJ de volta

  2. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Houveram tempos na Historia do Mundo em que esses canalhas e até suas famílias INOCENTES OU NAO e inteiras seriam vendidos como escravos! e em Praça Pública pra pagarem suas dividas! Mas desde pouco antes do ano 400dC. … MUITAS COISAS MUDARAM NE?! Esses Empresários e ex Copper’s de Transportes Públicos sao, muitos deles.. parasitas do Estado!

  3. SEBASTIAO ANACARETO STAMPINI disse:

    Grassas a Deus,as duas empresas não presta bom serviços,carro velho sujo,atrasos quebra sempre. Deixa passageiro na mão.

  4. Juliana disse:

    Glória, tomará que o próximo donos em vista na linha aqui de Mauá 382 feital e Hélida que está largado faz anos.

  5. carlos souza disse:

    Elon Musk,NASA ou a casa do k-raliw,alguém encontre um planeta respirável qualquer,constrói uma nave espacial e nos tira dessa m.rdhia desse mundo que já está extinto pela covid e pelas mentiras e outros crimes desse sistema imundo.Já tá tudo infinitilhões de quilômetros abaiixo do khoow do cachorro.Ou até do piolho.Estatiza logo essa pôha que acaba o BLABLABLA.Simples assim.

  6. Willian Silva de Souza disse:

    Tomara que ele receba esse dinheiro e pague os funcionários que ele está devendo a anos a verbas rescisórias eu trabalhei 9 anos para essa empresa sai e não recebi nada ainda já se faz 6 anos de espera por isso fui motorista da empresa tornei meu compromisso com eles e na hora que sai sou tratado com descaso e falta de transparência da antiga empresa pague o que me deve agora vc tem dinheiro para pagar suas dívidas vamos se a justiça vai obrigar ele a pagar sou Willian ex funcionário e muito decepicionado com a empresa

    1. Jonatas Rodrigues Batista disse:

      Os pagamentos vao ser com o dinheiro do leilao o comprador nao tera essa responsa.

  7. Jonatas Rodrigues Batista disse:

    Nem as linhas ?? Ue vi um motorista da transbus dizer que quem arrematou foi a Beatriz setti braga mais vai la saber eu ainda acredito que a suzantur pode ter comprado.

  8. RODRIGO CANDIDO DE MELO disse:

    A viação Riacho Grande (VRG) também pertence ao Baltazar, e a mesma garagem da imigrantes e viação triangulo na Av capitão Casa em São Bernardo.

Deixe uma resposta para William Santos Cancelar resposta