Prefeitos do ABC Paulista pedem que Doria decrete lockdown em toda Região Metropolitana, com suspensão do transporte

Medida tem como objetivo conter a disseminação da covid-19 na região. Foto: Adamo Bazani.

Pleito foi deliberado nesta quinta (18), durante assembleia extraordinária no Consórcio Intermunicipal Grande ABC

JESSICA MARQUES

Os prefeitos do ABC Paulista pediram ao Governo do Estado a decretação de um lockdown em toda a Região Metropolitana de São Paulo. O pleito foi deliberado nesta quinta-feira, 18 de março de 2021, em assembleia extraordinária no Consórcio Intermunicipal Grande ABC, realizada por videoconferência.

Em ofício, os chefes do Poder Executivo propõem que o governador João Doria decrete o bloqueio total em todos os 39 municípios da Grande São Paulo, inclusive com a interrupção total do serviço de transporte público estadual.

Segundo os prefeitos, devido ao fluxo diário de pessoas entre a capital, o ABC Paulista e outras cidades vizinhas, um lockdown apenas nos sete municípios teria impacto limitado para conter a disseminação do novo coronavírus.

O presidente do Consórcio ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, afirmou que o objetivo é frear a taxa de contágio e ocupação de leitos na Grande São Paulo.

“As medidas isoladas na Região Metropolitana não surtiriam o efeito de brecar a pandemia da forma correta, pois todos os municípios têm uma relação muito próxima com a capital”, afirmou Paulo Serra.

O presidente do Consórcio ABC informou que os municípios que integram o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) manifestaram a intenção de endossar o pedido de lockdown. Com isso, o pleito será de 19 cidades da Região Metropolitana.

“Antes mesmo de discutir a antecipação de feriados, gostaríamos que o governador apreciasse esse documento”, disse o presidente do Consórcio ABC.

Confira o ofício, na íntegra:

CAPITAL

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou nesta quinta-feira, 18 de março de 2021, a antecipação de feriados para reduzir a circulação de pessoas e a lotação do transporte coletivo, neste pior momento da pandemia de covid-19 no País.

Relembre:

Bruno Covas antecipa feriados municipais e muda rodízio para o período das 20h às 05h

TRANSPORTE NO ABC NA FASE EMERGENCIAL

As Prefeituras do ABC Paulista detalharam ao Diário do Transporte como está sendo a operação dos ônibus municipais durante a fase emergencial do Plano São Paulo, que está em vigor. As medidas mais restritivas foram determinadas pelo governador João Doria.

As cidades de Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema decidiram seguir com a medida de interromper a operação dos ônibus às 22h. Nas demais, o transporte coletivo municipal circula em horário normal, com algumas alterações no percentual de frota operante.

Relembre:

Prefeituras do ABC Paulista informam operação de ônibus durante fase emergencial determinada por Doria

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Não interessa disse:

    Isso mesmo vamos parar o transporte público porque aí até os hospitais fecham vocês acham que toda a população tem carro ou dinheiro pra Uber bando de gente retardada.

  2. Izildinha marino Matias da Silva disse:

    Prefeitos governadores, tem que deixar em lindas o total principalmente os transportes,por pelo menos uns 10a 15 dias as pessoas não vão morrer de fome nestes 15 dias dá se um jeito mas está terrível praga é fatal.

    1. Carlos Aparecido disse:

      . Nesses 15 dias vc fica obrigada a doar 50% do seus rendimentos ok? Fácil falar de geladeira cheia né?

  3. José prado disse:

    Primeiro nossos políticos que como empresarios são excelentes geradores de empregos e como empresários são excelentes políticos, deixam as eleições correrem soltas, carnaval a vontade, e aglomerações nos bares a noite sem fiscalização, amiga a gente paga a conta das “vistas grossas”, e o deixa rolar que permitiram.
    Vai comprar vacinas, abrir hospitais e cuidar me ok hot da população, tudo isso seria diferente se não tivessem permitido inúmeras situações que eles mesmo permitiram.

  4. Claudio Roberto De Morais disse:

    Tem que avisar esses prefeitos que não vão mais ganhar eleições por fazer política suja com essa doença mental.

  5. Sidnei Alves da Silva disse:

    Ao consórcio dos prefeitos , vcs vão anistiar as contas da população, vão dar cestas básicas nesses dias , ou fazer como fazem com animais se tem ração blz se não tem foda se, já falei seu Paulo Serra vc teve meu voto e da minha família sabe qdo vc os terá de novo , nunca ,

  6. eclesio de queiroz sousa disse:

    Esse lockdown entre aspas está prejudicando apenas os pequenos,por favor acordem todos estão batendo cabeça,com ela voltada a politica!nao está tendo interesse nenhum pelo ser humano isso e muito triste.fecha comércio(pequenos emprendedores)transporte coletivo circulando lotado,baladas rolando escondidas(alias deveriam pegar o cpf desses e na hora do arzinho simplesmente dizer,meu camarada a fila esta grande espera um pouco ali fora e vai tomando uma ate surgir uma vaga.
    Políticos so digo uma coisa estou com medo da atitude de vcs.desculpem meu desabafo nao acredito em mais nada que vcs falam.

  7. Carlos Aparecido disse:

    Queria ver se esse prefeitos teria coragem de suspender os salários dos servidores públicos durante a pandemia. Não trabalha não recebe, simples assim. Mas são todos frouxos e marionetes.

  8. Januário disse:

    Não sem quem é pior. O pessoal que depois de um ano ainda nega a doença, querendo que todo mundo viva suas vidas normalmente como se fosse possível fazer isso sem morrer asfixiado, ou os governantes que sabem da gravidade da situação, sabem o que tem que fazer, mas não fazem. Lockdown sem medidas de apoio é deixar a população morrer de fome. Se pelo menos o comandante supremo desta nação tomasse vergonha na cara e assumisse a missão para qual foi escolhido, ao invés de se isentar do seu trabalho e botar a culpa nos outros, criando uma situação onde todos os políticos se sentem confortáveis em fazer as coisas pela metade, com ninguém assumindo o ônus das medidas necessárias, seja perante a população ou perante o mercado e o empresariado. Enquanto se discute o que queremos resolver primeiro, acabamos não resolvendo nada.

  9. Eduardo disse:

    Os prefeitos do ABC sempre preocupados com os seus “chefes” (empresários de ônibus) não perderem $$. Os prefeitos parecem escravos desses caras. Lamentável.

Deixe uma resposta para Claudio Roberto De Morais Cancelar resposta