ABC terá protestos de motoristas e cobradores na segunda (22) com paralisações das 07h às 10h

Ônibus municipal de Santo André

De acordo com presidente do Sintetra, que representa a categoria, situação dos transportes na região é crítica; subsídios e prioridade de trabalhadores na vacinação são alguns dos pedidos na pauta

ADAMO BAZANI

Passageiros de ônibus do ABC Paulista devem estar atentos porque na segunda-feira, 22 de março de 2021, as sete cidades da região devem ter protestos de motoristas, cobradores e demais funcionários dos transportes coletivos.

Em entrevista ao Diário do Transporte na tarde desta quinta-feira (18), o presidente do Sintetra, sindicato que representa os profissionais, Leandro Mendes da Silva, disse que o movimento não se trata de greve, mas pode haver paralisações dos ônibus em terminais das 07h às 10h.

“Não é uma greve, mas serão protestos diante de toda a situação que o País está vivendo, em especial a categoria que trabalha nos transportes. Vamos definir as ações por cidades. Em Santo André, por exemplo, os ônibus vão seguir em fila pela Perimetral (uma das principais vias da cidade) com os passageiros até o terminal, deixar as pessoas lá, e os motoristas vão ficar parados dentro dos ônibus, para não aglomerar. Só vão voltar às ruas às 10h” – disse.

Para Leandro, o setor de transportes vive o pior momento de sua história por causa dos efeitos da pandemia de covdi-19 e o poder público tem feito pouco.

“Tirando Santo André, nenhuma outra cidade do ABC subsidia o transporte. A demanda caiu muito e a frota está acima do percentual de passageiros. Ocorre que com isso, as empresas alegam que não estão tendo condições de pagar. No ABC, sempre tivemos problemas com atrasos de pagamentos pelo Grupo Baltazar José de Sousa. Mas agora, está quase generalizado. Empresa que nunca atrasou, pagava sempre em dia, está com atrasos em salários e benefícios há meses” – explicou

De acordo com o sindicalista, a categoria ainda vai pedir que seja definido um cronograma de vacinação para os trabalhadores.

“Estamos na linha de frente também. Nosso serviço é essencial e estamos expostos a riscos de contaminação. Têm ocorrido mortes de trabalhadores de transportes por causa da covid-19”

O ABC Paulista tem aproximadamente 2,5 milhões de habitantes, dos quais em torno de um milhão (número de antes da pandemia) usa o transporte coletivo.

Formam a região as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

PAUTA:

VACINA JÁ: O SINTETRA protesta para que sejam incluídos os MOTORISTAS e COBRADORES do transporte urbano de passageiros no grupo de prioridades para a vacinação anti-covid19, pois estão diariamente expostos à contaminação, visto que estão na linha de frente e em contato permanente com inúmeras pessoas.

VACINA PARA TODOS: O SINTETRA protesta contra a demora na disponibilização das vacinas para a população em geral.

ATRASOS NOS SALÁRIOS: O SINTETRA protesta contra os constantes atrasos nos pagamentos dos salários e benefícios em favor dos trabalhadores.

APOIO DO GOVERNO: O SINTETRA protesta por apoio financeiro às empresas, através de subsídios, para que sejam mantidos os postos de trabalho e para que evitem mais demissões. Pela redução imediata nos preços dos produtos da cesta básica e pela suspensão nos pagamentos de impostos federais, estaduais e municipais.

COORDENAÇÃO NACIONAL: O SINTETRA protesta por uma coordenação nacional, envolvendo os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, com a efetiva participação dos governadores e prefeitos, no combate à pandemia do Covid-19, incluindo uma campanha nacional e padronizada envolvendo toda a população.

CONTRA O TRANSPORTE CLANDESTINO: O SINTETRA protesta contra o transporte clandestino de passageiros existente em nossa região, visto que tiram o emprego de diversos pais e mães de família, não geram impostos para as prefeituras e para o Estado e não dão segurança à população.

CONTRA O ABUSO DAS MULTAS: O SINTETRA protesta contra as multas aplicadas aos trabalhadores que se deslocam de casa para o trabalho e vice-versa nos horários definidos pelo “toque de recolher”.

Empresas de ônibus municipais e tarifas no ABC (gestão das prefeituras)

Santo André:

Tarifa: R$ 4,75

– Consórcio União Santo André (linhas comuns): formado pela Viação Guaianazes, Viação Vaz, TCPN (Transportes Coletivos Parque das Nações), ETURSA (Empresa de Transporte Urbano e Rodoviário de Santo André) e EUSA (Empresa Urbana Santo André).

– Suzantur: opera o sistema tronco-alimentado da região da Vila Luzita até o centro de Santo André, de forma provisória até a licitação do sistema que deveria ter sido realizada em 2016.

São Bernardo do Campo:

Tarifa: R$ 4,75

– BR7 Mobilidade

São Caetano do Sul:

Tarifa: R$ 4,50

– Vipe (Viação Padre Eustáquio)

Diadema:

Tarifa: R$ 4,65 (básica)

– Suzantur

Mauá:

Tarifa: R$ 4,30

Suzantur

Ribeirão Pires:

Tarifa: R$ 4,40

– Rigras (comprada pela Suzantur)

Rio Grande da Serra:

Tarifa: R$ 4,20

– Viação Talismã

Metropolitanas (EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) – As tarifas variam de acordo com os trajetos – Gestão do Governo do Estado de São Paulo

Área 5 da EMTU – Operadoras (não consorciadas): ABC, EAOSA, Expresso SBC, Imigrantes, Mobibrasil, Parque das Nações, Publix, Riacho Grande, Ribeirão Pires, Rigras (assumida pela Suzantur), São Camilo, Trans-Bus, Triângulo, Tucuruvi, Urbana e Vipe

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rafael disse:

    E tem cobrador no Abc? Por que eu não vejo mais

    1. diariodotransporte disse:

      Algumas linhas possuem, mas são poucas

  2. Wagner Fernando Simões disse:

    Boa noite. Devem fazer protesto sim. Mais uma coisa está errada. Santo André, só tem uma linha com cobrador. Aonde daqui uns anos. Não deverá ter mais. Então é melhor colocar,na reportagem. Só os motoristas. Pq a maioria, dirigi é cobra

    1. diariodotransporte disse:

      A maioria, mas não todos. Ainda tem cobradores, poucos, mas tem

  3. Fábio Ribeiro disse:

    Estes motoristas folgados mal educados de onibus , gostam de fuder com os trabalhadores mais ainda, já não basta essa merda de pandemia , os folgados querem ferrar mais ainda , paralizar pra que ? Tem manda embora quem paralizar .

  4. Alessandro José Guimarães disse:

    Uma das principais reivindicações seria extinguir o uso de dinheiro ,para ser usado somente o cartão, pois o dinheiro é imundo e transmite várias tipos de doenças…mas isso pouca gente se importa.

  5. Nathalia disse:

    Bizarro falarem.que teve queda na demanda… Só vejo ônibus lotado quando saio de casa, diminuíram a frota em vez de aumentar.

  6. Luana Borge de Souza disse:

    Já que vão iniciar uma paralização, ara reinvindcar os direitos, e beneficios deles, façam isso, sem medo. Pararam o trasnporte por 4 horas, e atrasaram milhoes de pessoas, nesse periodo, e voltaram numa boa depois, isso não foi uma paalisação, foi uma, rebeldia.
    Os onibus estão lotados, dimunuiram frota, a tarifa é la cima, parece que estão carregando bois, mal educados, ignorantes e pelo menos em Mauá, trabalham quando querem, ja fiquei 45 minutos esperando um onibus sair do terminal.
    Façam essa paralização ireito, reivindicam sim seus direitos e beneficios, mais cumpram com as obrigações também.

Deixe uma resposta para Alessandro José Guimarães Cancelar resposta