ANTT intensifica a fiscalização do Piso Mínimo do Frete em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Piauí

ANTT Minas Gerais

Em Minas, na primeira quinzena de março, 26 veículos estavam com valor do frete abaixo do devido. No Rio, em apenas dois dias, 17 autos de infração foram lavrados pelo mesmo motivo

ALEXANDRE PELEGI

A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT apertou a fiscalização sobre o transporte rodoviário de cargas neste mês de março.

O principal foco da fiscalização foi o valor pago pelo frete por parte dos contratantes, ou o Piso Mínimo do Frete (PMF). Na prática verificar se os pagamentos realizados estão em conformidade com a Resolução ANTT nº 5.867/2020, que estabelece as regras gerais, a metodologia e os coeficientes dos pisos mínimos, referentes ao quilômetro rodado na realização do serviço de transporte rodoviário remunerado de cargas, por eixo carregado.

O PMF foi instituído pela Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas – PNPM-TRC.

Em Minas Gerais, por intermédio da Coordenação de Fiscalização da Unidade Regional, as fiscalizações foram feitas nos Postos de Pesagem Veicular e Praças de Pedágio existentes nas rodovias concedidas que cortam o estado de Minas Gerais (BR-050/Eco 050, BR-153 e BR-262/Triunfo-Concebra, BR-365/Ecovias do Cerrado, BR-040/Via 040 e BR-381/Arteris).

A fiscalização, realizada ao longo da primeira quinzena do mês, mobilizou as equipes de fiscalização, que espalhadas pelo estado fiscalizaram um total de 184 veículos destinados ao transporte de cargas.

Dentre os veículos fiscalizados, 26 encontravam-se com o valor do frete abaixo do valor devido. Por causa disso, os contratantes do frete foram autuados pelo descumprimento da legislação.

Além do Piso Mínimo do Frete, os fiscais das ANTT também fiscalizaram as exigências das legislações do Pagamento Eletrônico do Frete – PEF (Resolução ANTT nº 5.862/2019), Vale-Pedágio Obrigatório (Resolução ANTT nº 2.885/2008) e Registro Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas – RNTRC (Resolução ANTT nº 4.799/2015), com a constatação de irregularidades em todos os assuntos mencionados.

Foram constatadas 27 irregularidades referentes ao Pagamento Eletrônico do Frete – PEF, 18 irregularidades referentes ao Vale-Pedágio Obrigatório e 13 irregularidades relacionadas ao Registro Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas – RNTRC.

A ANTT informa que as fiscalizações do Pagamento Mínimo do Frete, bem como as demais fiscalizações referentes ao transporte rodoviário de cargas continuarão no estado por todo o mês de março.

Importante ressaltar que os valores estipulados pela Resolução ANTT nº 5.867/2020 foram atualizados no ano de 2021 por duas vezes, vigendo, portanto, os valores previstos na Portaria nº 90, de 1º de março de 2021”, informa a Agência em nota.

RIO DE JANEIRO

Já no Rio de Janeiro, dos dias 15 a 17 de março de 2021, a fiscalização da ANTT concentrou-se no Posto de Pesagem Veícular (PPV) de Paracambi, na BR 116.

Como resultado da operação, foram fiscalizados 304 veículos, sendo lavrados 17 autos de infração pelo não pagamento do piso mínimo.

PIAUÍ

Houve também uma Operação de Fiscalização do Piso Mínimo do Frete na Unidade Regional do Ceará (URCE).

O local da ação foi no posto da Polícia Rodoviária Federal de Piripiri, no Piauí – BR-343, km 189, no período de 16 a 18 de março de 2021, quando foram fiscalizados 47 veículos.

Além disso, foram autuados outros sete por diversas irregularidades, dentre as quais: não pagamento do Piso Mínimo do Frete, ausência de pagamento eletrônico do frete para o transportador autônomo de cargas (e equiparados) e itens de segurança em desacordo com a legislação na fiscalização do transporte de produtos perigosos.

Veja as imagens enviadas pelas equipes de fiscalização dos estados de Minas Gerais, Rio e Ceará:

RIO DE JANEIRO:

MINAS GERAIS


URCE – PIRIPIRI (PI):

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Luis Marcello Gallo disse:

    Onde estão as imagens da fiscalização?

    1. diariodotransporte disse:

      Estão anexadas sim. Verifique sua conexão

  2. Wlademir Fernandes de Souza disse:

    Bom dia!! Tá bom de fiscalizar aqui na Paraíba também.

  3. Alex Miletto disse:

    26 veículos em 15 dias, nossa quanta eficiência , quase dois por dia. Todos que trabalham com transporte sabem que 90% dos veículos que trafegam estão com frete muuuito abaixo da tabela. Enquanto não tiver fiscalização em grande volume as transportadoras continuarão pagando a miséria que pagam hoje pois a chance de ser multado é irrisória..

  4. Gildo disse:

    Os fretes do Nordeste não paga nem o combustível pra qualquer lugar. Deveria deixar um contato pra nos autônomo denunciar estas empresas.

    1. Gildo disse:

      O meu caminhão está se acabando não sobra nem pra compra pneus e fazer manutenção, o frete é só pra pagar prestação e sustenta a família

    2. Gildo disse:

      Deveria a própria polícia rodoviária fiscalizar o valor do frete ou só serve pra multa e colocar radares móveis

  5. Gildo disse:

    Engraçado nos trabalhamos o ano todo e a fiscalização é só três dias, assim não dá. A fiscalização tem que ser todos os dias e próprio motorista tem que denunciar no posto rodoviário. É só no Brasil mesmo acontece estas coisas

Deixe uma resposta para Wlademir Fernandes de Souza Cancelar resposta