Número de passageiros na SPTrans cai 13% no primeiro dia de fase emergencial em relação à fase vermelha

Ônibus da cidade de São Paulo

De acordo boletim oficial da SMT (Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes), foram transportados 1,5 milhão de passageiros em 15 de março e 1,72 milhão em 08 de março

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

No primeiro dia de fase emergencial no Estado de São Paulo, com maiores restrições, os ônibus municipais da capital paulista gerenciados pela SPTrans (São Paulo Transporte) registraram uma queda de 13% nesta segunda-feira, 15 de março de 2021, em comparação com a segunda-feira, 08 de março de 2021, quando o Estado estava na fase vermelha.

Já na comparação entre segunda-feira, 15 de março de 2021, e a segunda-feira, 01º de março de 2021, quando São Paulo estava na fase laranja, a queda foi maior ainda, de 24%.

Os dados são do Boletim da SMT (Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes) divulgado na tarde desta terça-feira, 16 de março de 2021.

Em números absolutos, a quantidade de passageiros foi a seguinte de acordo com o documento oficial:

Segunda-feira: 15 de março de 2021 (fase emergencial): 1,5 milhão de passageiros

Segunda-feira: 08 de março de 2021 (fase vermelha): 1,72 milhão de passageiros

Segunda-feira: 01º de marços de 2021 (fase laranja): 1,97 milhão de passageiros

Já de acordo com o boletim, a quantidade de ônibus em circulação permaneceu em 11.308 coletivos, o que representa quase 90% dos aproximadamente 13 mil coletivos cadastrados no sistema da cidade.

 

Em nota, a SPTrans  detalha os percentuais de demanda em comparação ao período anterior à pandemia

A Secretaria de Mobilidade e Transportes, por meio da SPTrans, informa que a frota do sistema de transportes está mantida em 93,34% nos bairros mais afastados do centro e em 88,25% em toda a cidade, mesmos níveis das semanas anteriores. Eventuais ajustes poderão ser feitos a partir da variação de passageiros, como de praxe no sistema municipal.

A demanda de passageiros, que foi de 61% na semana anterior ao retorno da Fase Vermelha (2/3) em relação a um dia útil antes da pandemia, caiu para 52% na semana passada e para 46% nesta segunda-feira (15/3), primeiro dia de validade da Fase Emergencial.  
 
Vale ressaltar que o inquérito sorológico realizado pela Prefeitura de São Paulo mostra que a proporção de pessoas infectadas que saem de casa para trabalhar ou realizar outras atividades essenciais é menor em relação a quem sai para locais e atividades não essenciais, independente do meio de transporte ou da forma de deslocamento.
 
Medidas preventivas adotadas
 
O uso de máscaras é obrigatório durante toda a viagem por todos os passageiros, motoristas e cobradores.
 
A SPTrans adotou uma série de medidas preventivas em relação à Covid-19, como reforço na higienização dos veículos e nos terminais. Além da limpeza mais pesada já realizada diariamente nas garagens em todos os ônibus, a higienização dos ônibus é reforçada entre as viagens, nos terminais municipais, principalmente nos locais onde há contato mais frequente dos passageiros, como balaústres, corrimãos e assentos.
 
Ações de orientação e conscientização sobre cuidados e higiene pessoal continuam sendo realizadas com todos os operadores, por meio das concessionárias, e com os passageiros, por meio de mensagens sonoras e cartazes nos terminais, redes sociais e no Jornal do Ônibus.
 
A SPTrans autorizou as empresas concessionárias a isolarem seus motoristas com cortina em “L” e o uso de máscara para quem precisa se deslocar passou a ser obrigatório. Além disso, é recomendado o reforço de cuidados pessoais como lavagem das mãos a cada viagem realizada.

Os dados referentes a esta terça-feira (16) só devem ser consolidados na quarta-feira (17) porque o número usa como base a bilhetagem e os giros das catracas cujos resultados são apurados depois de todos os ônibus voltarem para a garagem e transferirem as informações para as centrais.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Gleice Ferreira da Silva disse:

    Bom dia isso não é verdade os ônibus continua com superlotação eu mesmo pego 4:30 da manhã e o ônibus já está super lotado indignada com essa situação fala que não pode aglomeração em tantos outros lugares mas dentro do ônibus pode absurdo isso revoltante além de estar tudo muito caro muita gente ficando sem emprego sem moradia e não falam em outra coisa a não ser de coronavirus e as outras doenças sumiu igual um passe de mágica se você estiver sentindo qualquer outra coisa você não consegue passar no hospital a gente paga tanto imposto para não ter direito a nada

Deixe uma resposta