Prefeitura do Rio determina escalonamento de atividades econômicas para evitar aglomerações no transporte público

Passageiros aglomerados em estação do BRT Rio nesta sexta (12). Foto: Juan de Souza/Reprodução Twitter.

Também foi determinada a proibição de pessoas em locais públicos entre 23h e 5h

WILLIAN MOREIRA

A Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro ,buscando evitar aglomerações no transporte público, divulgou um novo decreto nessa quarta-feira, 10 de março de 2021, determinando o escalonamento obrigatório de setores econômicos, permitindo que os trabalhadores não se desloquem todos ao mesmo horário, mas em diferentes períodos do dia.

Segundo o decreto nº 48.604, fica vedada a permanência de pessoas em vias, áreas e praças públicas no período entre às 23h e 5h todos os dias. Casas de espetáculo e estabelecimentos semelhantes estão proibidos de abrir.

Já as atividades econômicas de serviços, administração pública e comércio geral devem agora abrir e fechar nos horários determinados como medida obrigatória.

– Serviços – início às 8h e encerramento às 17h;
– Administração Pública – início às 9h e encerramento às 19h;
– Comércio Geral – início às 10h30 e encerramento às 21h.

“A partir de amanhã, o horário de funcionamento do comércio será das 10h30 às 21h; dos serviços das 8h às 17h e das repartições públicas das 9h às 19h. Esperamos assim diluir o volume de passageiros nos transportes da cidade. Boates, festas e eventos permanecem proibidos. E entre às 23h e 5h está proibida a permanência nas ruas. Equipes da Guarda Municipal e da Policia Militar a postos para a fiscalização”, disse o Prefeito, Eduardo Paes, em suas redes sociais.

Pelo menos mil agentes municipais vão fiscalizar o cumprimento das novas medidas restritivas e caso for flagrado irregularidades, apreensão de mercadorias, produtos, bens, equipamentos fixos e móveis, instrumentos musicais e veículos automotores e rebocáveis poderão ser feitas e também aplicação de multa.

Veja abaixo o decreto sobre as novas ações adotadas:

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta