ÁUDIO: Kalil promete desvendar “mistério” do transporte público lotado e endurece medidas de restrição em BH

Alexandre Kalil diz que transporte coletivo é problema nacional

Prefeito de Belo Horizonte diz que explicação sobre lotação em ônibus com comércio fechado está em “trabalhadores invisíveis de escritórios” e haverá fiscalização em prédios comerciais

ADAMO BAZANI

Ao anunciar medidas mais rígidas para evitar a disseminação da covid-19, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, disse na tarde desta sexta-feira, 12 de março de 2021, que acredita haver um “mistério” na lotação dos ônibus mesmo com grande parte das atividades comerciais fechadas.

O prefeito disse que esta demanda de “trabalhadores invisíveis” está nos escritórios, onde não há até o momento fiscalização.

“É muito estranho os ônibus estarem lotados. É isso que nós estamos notando, né. O transporte coletivo não pode estar como está. Ou é falta da integração da fiscalização, ou estes que estão em prédios invisíveis, mas nós não podemos fazer mais nada. O transporte público é um problema nacional. Nós já adiantamos vale, fomos no TJ, fizemos um acordo, nós vamos mexer nos ônibus. Agora, o que nos causa estranheza não é o transporte público estar lotado, mas é o que este povo está fazendo na rua. É o contrário, por que está lotado? Nós não tiramos ônibus, fechamos a cidade, estamos fechando mais ainda e vai continuar lotado? Nós temos de descobrir este mistério. Porque o transporte público é problema no Brasil inteiro. Essa é uma pergunta recorrente e sem uma resposta definitiva” – disse

Ouça:

Kalil anunciou um estudo sobre a movimentação de trabalhadores nos escritórios para posterior endurecimento nas fiscalizações.

“Nós estamos fazendo um estudo para começarmos entrar nos prédios comerciais. Nós vamos agora estudar quem pode estar em casa e está em escritórios levando faxineira, levando secretárias no transporte público irresponsavelmente. Precisamos de um estudo, e a [Secretaria] de Política Urbana vai fazer e logo- logo, a fiscalização vai atuar neste setor também. Por enquanto, faço um apelo para que esse pessoal trabalhe em casa e fique em home office porque vão ser autuados também. Não podemos continuar com essa lotação no transporte público sendo que a cidade está toda fechada. Existe um mistério nisso aí. E esse mistério está dentro dos prédios comerciais de Belo Horizonte. Os serviços estão sendo prestados e são praticamente invisíveis e é por isso que o povo do ônibus não cai. Isso é um estudo que demanda tempo e nós vamos em até dez dias nós vamos detectar e fechar estes escritórios também” – explicou Kalil

Ouça:

As novas regras trazem as seguintes restrições:

– Comércio da Construção Civil (Varejo) – proibição;

– Cursos de línguas, artes e danças – proibição;

– Praças Públicas, Parques, Locais Caminhadas ficam fechados;

– Restaurantes com atendimento presencial ficam proibidos. Delivery está permitido; entrega no local também está proibida;

– Lojas de conveniência de postos de combustíveis podem funcionar até 18h de segunda a sexta-feira somente;

– Carros de lanche, food truck ou similares estão proibidos;

– Cultos, missas, celebrações, etc de todas as religiões estão suspensos, mas os templos podem ficar abertos;

“A fiscalização será implacável na cidade de Belo Horizonte. A fiscalização será implacável com quem ignora a doença. Não podemos deixar comerciantes sérios, bares sérios, gente séria pagar por irresponsáveis”  – completou Kalil.

As restrições de atividades públicas, como nas praças, parques e locais religiosos começam neste sábado, 13 de março de 2021.

Já as restrições às atividades de comércio começam na segunda-feira, 15 de março de 2021.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta