ANTT mantém valor de pedágio da BR-101/RJ Norte em R$ 6,00

Administrado pela concessionária Fluminense (Arteris), trecho de rodovia tem 322 quilômetros de extensão, e liga a Niterói até Campos dos Goytacazes, fazendo divisa com o estado do Espírito Santo. Foto: Divulgação

Trecho da rodovia explorado pela Autopista Fluminense (Arteris) passa por cidades como Campos dos Goytacazes, Macaé, Rio das Ostras, Itaboraí, São Gonçalo e Niterói

ALEXANDRE PELEGI

A rodovia BR 101 RJ/Norte, no trecho que liga a cidade de Niterói até Campos dos Goytacazes, não terá aumento de pedágio.

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, em deliberação publicada nesta quarta-feira, 03 de março de 2021, decidiu manter, com efeito econômico-financeiro a partir da data-base de reequilíbrio contratual de 2 de fevereiro de 2020, a Tarifa Básica de Pedágio para a categoria de veículo 1, em R$ 6,00.

O valor segue valendo nas praças de pedágio P1, em Campos dos Goytacazes/RJ, P2, em Conceição de Macabu/RJ, P3, em Casimiro de Abreu/RJ, P4, em Rio Bonito/RJ, e P5, em São Gonçalo/RJ.

A Autopista Fluminense, do Grupo Arteris, é a empresa responsável pelos 322 quilômetros da rodovia, que recebe mais de 110 mil veículos por dia.

A BR-101/RJ Norte liga as cidades de Campos dos Goytacazes, Conceição de Macabu, Quissamã, Carapebus, Macaé, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Rio Bonito, Tanguá, Itaboraí, São Gonçalo e Niterói. Tem um papel importante na rede rodoviária brasileira, promovendo a ligação entre as regiões Sudeste e Sul do País. É também relevante sob o ponto de vista econômico, conectando a região norte da costa litorânea do Estado do Rio de Janeiro e suas bacias petrolíferas. Além disso, permite o acesso a uma região de importantes polos turísticos, como Búzios e Cabo Frio e o litoral sul Capixaba.

O volume diário médio diário da rodovia é de 74 mil veículos, sendo 20% de veículos comerciais. A maior movimentação é registrada na Avenida do Contorno, em Niterói, com cerca de 100 mil veículos. Na região de Silva Jardim, Casimiro de Abreu e Macaé, o volume diário médio de tráfego é de 15 mil veículos. No trecho próximo à divisa com o Estado do Espírito Santo, o volume diário médio de tráfego é de seis mil veículos.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta