Double-decker a hidrogênio desenvolvido na Grã-Bretanha promete rodar com autonomia de até 480 quilômetros

Foto: ADL / Divulgação

Projeto de ônibus de dois andares foi realizado pela fabricante global ADL em parceria com a New Flyer, subsidiária do mesmo Grupo e uma das pioneiras globais em ônibus a hidrogênio

ALEXANDRE PELEGI

Em nota publicada em seu site oficial, a fabricante de carrocerias Alexander Dennis Limited (ADL) anunciou sua próxima geração de ônibus a hidrogênio de dois andares.

A ADL é uma empresa britânica com sede em Larbert, Escócia. É a maior fabricante do Reino Unido, com 50% do mercado em 2019, e possui fábricas e parcerias no Canadá, China, Europa, Hong Kong, Malásia, Nova Zelândia, Cingapura, África do Sul e Estados Unidos.

De acordo com a publicação, os ônibus double-decker terão autonomia de até 480 quilômetros (300 milhas), e serão alimentados por um módulo de energia de célula de combustível Ballard através do sistema Voith – VEDS (Voith Electrical Drive System).

O double-decker a hidrogênio está sendo totalmente projetado e construído na Grã-Bretanha com o nome de H2.0, e a ADL estima colocá-lo em circulação antes do final de 2021.

O ônibus de dois andares integra a plataforma de hidrogênio de segunda geração da fabricante global, e incorpora o que a ADL absorveu de testes em todo o país para definir novos padrões de autonomia e eficiência.

Subsidiária do NFI Group, a ADL utilizou como base mais de 25 anos de experiência em hidrogênio da New Flyer, outra subsidiária do Grupo e uma das pioneiras globais em ônibus a hidrogênio.

O double-decker de hidrogênio H2.0 equilibra perfeitamente o peso e maximiza o espaço do salão. Os tanques de hidrogênio e seus componentes principais vêm embalados de forma inteligente pelos engenheiros, que desenvolveram a mais ampla linha de ônibus limpos do mercado.

As células de combustível Ballard são especificadas para a saída certa de energia, minimizando o consumo de combustível e maximizando o desempenho, o que resulta em menor custo total para o frotista.

Com menos tanques mas com maior volume, o H2.0 reduz o esforço de manutenção, enquanto aumenta a capacidade de combustível, fornecendo uma maior faixa de emissão zero.

Além disso, o H2.0 usa a tecnologia mais recente do Voith Electrical Drive System (VEDS). O VEDS aumenta a regeneração de energia durante a fase de frenagem e oferece maior eficiência. Esta eficiência é aprimorada pelo gerenciamento térmico avançado que usa o calor em excesso das células de combustível e da linha de transmissão para aquecer o salão do veículo, minimizando a necessidade de energia adicional.

Presidente e diretor administrativo da ADL, Paul Davies afirma que o H2.0 será um marco para a tecnologia de emissão zero, “com eficiência incomparável que oferece um alcance líder na classe, perfeito para rotas de alta quilometragem que a tecnologia de bateria não cobre”.

Paul Davies finaliza afirmando que o ônibus a hidrogênio de próxima geração da ADL, totalmente projetado e construído na Grã-Bretanha, aumentará as habilidades em tecnologia de veículos limpos, “setor crucial para o desenvolvimento futuro, já que o Reino Unido tem como meta zerar as emissões em 2050”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta