Greve do transporte coletivo de Maceió (AL) é suspensa

Trabalhadores vão aguardar propostas patronais até o dia 10 para definir sobre a paralisação. Foto: Aldair da Silva/Ônibus Brasil.

Sindicato vai aguardar proposta dos empresários para definir próximas ações

WILLIAN MOREIRA

A greve de ônibus de Maceió, no Alagoas, foi suspensa após audiência de mediação na terça-feira, 02 de fevereiro de 2021, entre o MPT (Ministério Público do Trabalho), Sinttro-AL (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários) e Sinturb-MAC (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros).

A suspensão é pelo menos até o próximo dia 10, quando haverá uma nova proposta a categoria. Durante a reunião para mediar os conflitos, o procurador o MPT, Luiz Felipe dos Anjos, defendeu que seja mantido o pagamento do auxílio alimentação e plano de saúde aos rodoviários pelas empresas, pelo menos até que a Prefeitura de Maceió e setores competentes concluam, em até 45 dias, um estudo técnico para encontrar um equilíbrio nas operações do transporte.

“O transporte coletivo é regulamentado pela SMTT e pela prefeitura de Maceió. Há compromissos a serem cumpridos pelas empresas, por isso a importância de chamar os entes públicos para que possamos chegar a um denominador comum sobre uma prestação de serviço adequada e que não gere prejuízos a serem suportados pelos trabalhadores”, disse o procurador.

Já o procurador-chefe, Rafael Gazzaneo, pediu para que sejam mantidos os direitos trabalhistas que estavam em pauta, pois traria grande prejuízo aos funcionários do transporte coletivo, agravado pelo período atual da pandemia.

“São direitos históricos e que foram conquistados em prejuízo de diversos reajustes à época da sua concessão. O que propomos à categoria dos trabalhadores é o adiamento do movimento paredista em uma semana, considerando que o prejuízo concreto para a categoria iniciaria após o décimo dia útil”, disse Gazzaneo.

Com base nos primeiros debates, foi marcado uma nova audiência para 10 de fevereiro com os sindicatos e o Ministério Público do Trabalho, para levar a conhecimento novas propostas dos empresários com a analise do sindicato dos empregados.

O Sinttro já se comprometeu a interromper o movimento grevista até a data e propôs que o município de Maceió faça um suporte financeiro por meio de subsídios, pagando o tíquete alimentação e plano de saúde dos motoristas e cobradores.

Entretanto, o sindicato patronal, Sinturb, disse que a única negociação proposta é cumpri o que está determinado na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), reforçando que a única forma de manter os direitos questionados no encontro, é se a Prefeitura subsidiar, como proposto pelo Sinttro.

O poder municipal, por sua vez, informou ser inviável conceder qualquer outro tipo de subsídio neste momento, mas estão estudando novas alternativas para a manutenção do equilíbrio econômico conforme decreto de resolução da tarifa de ônibus.

Após a reunião da próxima quarta (10), será definido se haverá ou não paralisação no transporte coletivo da cidade.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta