Terminais de ônibus vinculados ao Metrô em São Paulo recebem postos de testes pagos da covid-19

Posto de testagem no Terminal Carrão já está em funcionamento

Primeiro ponto é no terminal Carrão, na zona Leste. Valores variam entre R$ 89 e R$ 279

ADAMO BAZANI

Até o final de março, 12 terminais de ônibus da cidade de São Paulo vinculados a estações de Metrô terão postos de testes pagos de covid-19.

O primeiro ponto começou a funcionar nesta quinta-feira, 28 de janeiro de 2021, no terminal de ônibus da Vila Carrão, na zona leste, com funcionamento diário, incluindo finais de semana e feriados, das 8h até às 20h.

O local possui capacidade para realizar em torno de mil testes por semana.

Os próximos espaçosa receberem são sete terminais integrados à linha 3-Vermelha: Arthur Alvin, Brás, Patriarca, Penha Norte, Carrão Norte, Tatuapé Norte, e Vila Matilde; e quatro à linha 1-Azul: Ana Rosa, Armênia, Parada Inglesa e Santana.

Por dia, nestas estações passam 1,5 milhão de pessoas.

Os valores variam entre R$ 89 e R$ 299: teste de Sorologia Anticorpo (R$ 89), Antígeno (R$ 179) e RT-PCR (R$ 299). É possível parcelar em três vezes.

A instalação dos postos ocorre por meio de parceria entre a Unitah Empreendimentos, concessionária responsável pela administração dos terminais, e o projeto Previne Coronavírus, que possui um convênio com o laboratório Centro de Diagnóstico São Paulo.

Por meio de nota, o presidente da Unitah, Luiz Fernando Ferraz Bueno, destaca a facilidade de acesso dos terminais.

 “Neste momento, em que muitas pessoas estão retornando às suas atividades, a testagem se torna ainda mais necessária para o enfrentamento da pandemia. Os centros de testagem dentro dos terminais da Unitah vão facilitar o dia a dia de pessoas que frequentam ou moram na região e proporcionar mais conveniência no caminho de ida e vinda de seus compromissos”, disse.

Os testes ficam prontos em 24 horas.

“A coleta é simples e rápida, possuindo os três principais métodos de testagem para a identificação do vírus SARS-CoV-2, como RT-PCR, Antígeno e Sorologia Anticorpo. Com os testes RT-PCR e o Antígeno, ambos feitos com swab aplicado por via nasal, é possível identificar quem está atualmente contaminado pelo vírus. Já o teste de Sorologia para a detecção de anticorpos, realizado via amostra de sangue, ajuda os que suspeitam de contaminação, mas não apresentam sintomas no momento da coleta. Enquanto o RT-PCR e Antígeno deve ser realizado no início da doença, os testes sorológicos são feitos a partir da segunda semana de contato com o vírus, quando a carga viral no corpo do indivíduo diminui progressivamente.” – explica nota da Unitah

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Sandro Martins disse:

    É engraçado fui no posto de saúde não tinha teste mas se eu pagar faço na hora pais de

Deixe uma resposta