Com isenção tributária, fim de cobradores e subsídios, tarifa de ônibus de Petrópolis (RJ) poderia chegar a R$ 1,71

Em site, os passageiros podem ter acesso ao cálculo da passagem. Foto: Divulgação.

Informação foi divulgada pelas empresas do transporte coletivo por meio do ‘Simulador de Tarifas’

JESSICA MARQUES

Os passageiros de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, poderiam pagar uma tarifa de ônibus de R$ 1,71. O valor seria possível com a adoção de algumas políticas públicas, como isenção tributária, fim de cobradores e subsídios às empresas do transporte coletivo.

A informação foi divulgada pelo Setranspetro (Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis) por meio do novo Simulador de Tarifas.

Com o site, os passageiros podem ter acesso ao cálculo da passagem, conhecendo os componentes que mais impactam para o valor final da tarifa.

Assim, baseado em dados oficiais disponibilizados para consulta pública, qualquer cidadão poderá ter acesso ao custo. O sindicato enfatiza que a tarifa poderia ser até 61,1% mais barata no município, passando de R$ 4,40 para apenas R$ 1,71 com a implantação de políticas públicas.

“O Simulador de Tarifas tem como finalidade destacar para a população que o transporte coletivo é um serviço essencial e um direito de todos, inclusive, assim que é tratado pela Constituição Nacional. E por ter esta característica social, não pode ser visto como um problema exclusivo do empresário, uma vez que, se houver novas formas de financiamento público, pode-se chegar a um valor tarifário muito mais justo e acessível para todos”, explicou Carla Rivetti, gerente do Setranspetro.

ACESSO

O Simulador de Tarifas já está disponível e pode ser acessado por computador, smartphone ou tablet, por meio do site http://simulador.setranspetro.com.br/simulador2021/.

Na página, os passageiros poderão optar por alternativas de múltipla escolha e acompanharão detalhadamente o custo simulado da passagem, tendo a oportunidade de conhecer medidas que poderiam diminuir o valor final.

“Todos os cálculos foram realizados com base na tarifa atual, de R$ 4,40. Porém, é importante ressaltar que, desde o início do ano passado, o custo já estava totalmente defasado, em razão da queda da demanda de passageiros, que se agravou, principalmente, no início da pandemia do Coronavírus, não cobrindo os gastos do Sistema de Transporte que, no acumulado entre março e novembro, já supera um prejuízo de R$ 39 milhões”, informou o Setranspetro, em nota.

CÁLCULOS

Durante o processo de simulação, que dura, em média, cinco minutos, os usuários terão acesso à economia individual que poderia ser gerada mensalmente e anualmente, para o caso de adoção das medidas sugeridas no simulador.

Confira o exemplo divulgado pelo Setranspetro com medidas para redução da tarifa:

Na simulação, o Setranspetro destaca, por exemplo, a queda de R$ 0,10 no valor da tarifa, caso houvesse isenção tributária municipal. Além disso, segundo o orçamento anual de Petrópolis do último ano, se 10% da receita do IPVA e 5% da arrecadação com o IPTU fossem destinados para subsidiar uma parte da tarifa do transporte público, a passagem poderia ser até R$ 0,25 menor.

De acordo com o Sistema de Bilhetagem Eletrônica, e com os dados oficiais, é constatado que apenas 11% dos passageiros se beneficiam do Sistema de Integração, enquanto outros 89% dos passageiros sequer o utilizam. Nesse caso, a passagem de ônibus poderia ser até R$ 0,30 menor, caso os passageiros que utilizam a integração pagassem uma pequena parcela no valor da tarifa integrada.

Com relação à Mobilidade Urbana, projetos de engenharia de transporte estão sendo discutidos para a priorização do transporte coletivo, inclusive, com a criação de corredores exclusivos, que resultariam em viagens mais rápidas e eficientes. Com a implantação da troncalização do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras, por exemplo, o custo da passagem poderia ser R$ 0,10 menor.

Enquanto isso, considerando o Programa de Qualificação dos profissionais do setor e a realização do pagamento da tarifa por meio do cartão eletrônico, que chega a mais de 70% das transações, caso fosse aprovada o fim da função de cobrador, a tarifa poderia ser até R$ 0,66 mais barata em Petrópolis.

Por fim, caso o governo investisse recursos para arcar com as passagens dos estudantes das redes municipal, estadual e particular de ensino, como forma de subsídio público, a tarifa de ônibus poderia ser R$ 0,70 mais barata. Atualmente, a gratuidade desses alunos corresponde a 590 mil passagens por mês. Já a gratuidade às pessoas portadoras de deficiências e doenças crônicas, que não podem interromper tratamento sob risco de morte, correspondem a 206 mil passagens mensalmente, elevando a tarifa em R$ 0,28.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. APJ disse:

    COM O CORTE DA METADE DOS DEPUTADOS,SENADORES VEREADORES E A DIMINUIÇÃO DO SALARIO DOS MESMOS PELA METADE TAMBÉM SOBRARIA MUITO DINHEIRO PRA INVESTIR EM SAÚDE,EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA.ALGUÉM JÁ FEZ ESSA CONTA ?
    SERIA BOM SE ESSES POLITICOS APENAS RECEBEÇEM AHUDA DE CUSTO AO INVÉS DE SALARIOS ALTISSIMOS E MUITOS BENEFÍCIOS DESNECESSARIOS.
    SERÁ QUE VCS VÃO POSTAR ESSE COMENTARIO?
    ESPERO QUE SIM MAS COMEÇO A TER DUVIDAS POIS JA COMENTEI ASSUNTOS ANTERIORMENTE E NÃO POSTARAM.
    ABRAÇO A TODOS!

Deixe uma resposta