Greve de ônibus em Foz do Iguaçu é suspensa após reunião com interventor em empresas

Ônibus em Foz do Iguaçu

Parte dos pagamentos atrasados já foi quitada e cobradores reintegrados

ADAMO BAZANI

A greve de funcionários do sistema de transportes públicos de Foz do Iguaçu, que estava marcada para ocorrer nesta terça-feira, 12 de janeiro de 2021, foi suspensa após uma reunião entre o sindicato da categoria e o interventor da prefeitura no Consórcio Sorriso, Rafael Carboneira, que ocorreu nesta segunda-feira (11).

Como mostrou o Diário do Transporte, em 19 de dezembro de 2020, a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei autorizando a prefeitura a subvencionar o transporte coletivo e realizar a intervenção por um período inicial de seis meses.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/12/19/sob-intervencao-salarios-dos-funcionarios-do-transporte-coletivo-serao-pagos-pela-prefeitura-de-foz-do-iguacu/

De acordo com o sindicato, a suspensão da greve é por 15 dias até que sejam concluídas as negociações, mas já foram realizados pagamentos de vale-alimentação atrasado referente às empresas Cidade Verde e Valle do Iguaçu e a reintegração dos cobradores da empresa Transbalan.

Veja a nota na íntegra:

Os dirigentes sindicais se reuniram neste dia 11 as 17h e resolveram que, tendo em vista que, o interventor já pagou o vale alimentação dos funcionários da empresa Cidade Verde e Valle do Iguaçu e que a partir desta terça, 12, todo o sistema vai operar novamente cobrando em dinheiro, além disso, ponderando que os cobradores do quadro da empresa Balan, no total de 16 cobradores, já estão novamente em seus postos de trabalho, decidiram suspender a paralisação.

Foi proposto que, em comum acordo, será feito um T.A.C e será marcada audiência na promotoria pública do trabalho para renovar o acordo coletivo de trabalho para o período da intervenção, sem prejuízo de discutir todas as cláusulas do acordo, inclusive o vale alimentação natalino.

Diante destas circunstânciaa compreende-se que só com os ônibus rodando e cobrando em dinheiro é que vai ser possível aumentar o número de passageiros. Caso aumente nos próximos 15 dias será exigido a contratação dos motoristas e cobradores. Nestes termos a diretoria entendeu ser melhor suspender a greve por um período de 15 dias para concluir as negociações.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta