CPTM realiza primeiro sorteio de espaços comerciais para vendedores ambulantes regularizados

Vendedores, até então ambulantes, durante curso do Sebrae que permitiu sua regularização no trabalho. Foto: Divulgação Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Antes, comerciantes ambulantes participaram de um curso no Sebrae e agora podem escolher um dos 100 espaços disponibilizados

WILLIAN MOREIRA

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) realizou nessa terça-feira, 08 de dezembro de 2020, o primeiro sorteio de espaços comerciais para vendedores ambulantes que passaram pelo processo de regularização.

A companhia colocou à disposição para a escolha de 17 vendedores nesta primeira chamada, um dos 100 espaços por um custo inferior ao cobrado habitualmente. Trata-se de um espaço de um metro quadrado localizado no interior de uma estação da companhia.

Estes trabalhadores participaram de um curso fruto da parceira da CPTM com o Sebrae, ganhando um certificado.

Cada um poderá escolher somente um local para trabalho. O restante dos locais disponibilizados será preenchido por outros comerciantes em cursos que devem acontecer nos próximos meses, mas que, devido à pandemia, ainda não possuem data e horários definidos.

Como forma de estimular o empreendimento destes vendedores, será dada uma carência de seis meses de aluguel, junto a um desconto de 70% no valor normal praticado para cada ponto, passando a ser cobrado R$ 387,00; R$ 345,00; R$ 300,00 e R$ 195,00 de cada grupo de estações, diferente do valor normal que era de R$ 1.290,00; R$ 1.150,00; R$ 1.000,00 e R$ 650,00 respectivamente.

Veja abaixo a tabela com os valores por cada grupo, formado de estações com variação da demanda diária de passageiros:

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. SUELI disse:

    Que ótima iniciativa! Organização e emprego para os mais vulneráveis – esse é o dever do Estado. Só precisa ser mais rápido para atender a demanda, porque a situação de ambulantes é muito crítica em algumas estações, como a do Grajaú, por exemplo, que também tem um terminal de ônibus. É tão cheio de ambulantes em uma total desorganização que mal tem espaço para circular, no horário de pico, eles interditam as saídas das escadas rolantes com tantas coisas espalhadas para venda. A entrada da estação mal se vê, uma aglomeração muito grande e em todas as plataformas. Uma verdadeira desorganização e a administração parece não se importar nenhum pouco. Precisa dar condições para que essas pessoas trabalhem, mas de forma organizada, porque parece mais um mercadão do que um terminal, acaba atrapalhando muito quem precisa ir e vir todos os dias.

Deixe uma resposta